Imprimir

Nós...

Tudo começou há muito tempo, à volta de uma fogueira onde se assavam couratos, numa noite fria do dia 18 de Dezembro, do ano de 1985.
Ali estavam reunidos alguns dos actuais sócios fundadores desta associação que tinham em comum o facto estarem habituados a falar para o microfone, só que este emitia na Banda do Cidadão (11 metros).
Nesta noite, histórica, ficou decidido avançar com uma estação de radiodifusão "pirata" (assim se designavam na altura) na vila de Cernache do Bonjardim.

Os fundadores...
Na reunião estiveram, entre outros: Salvador Santos, Carlos Ribeiro, António Reis, Manuel Salvado Pêgas, José Carlos Biscaia e Albano Meneses. 
Antes que o ano findasse, ainda houve tempo para pôr no ar a primeira emissão experimental. No dia 28 de Dezembro, um emissor de 3 Watts emitindo na frequência de 102.5 MHz, transmitiu música e algumas palavras a partir da loja de electrodomésticos do Albano Meneses, local onde o Carlos Ribeiro, técnico de eletrónica, o construiu e onde reparava diariamente tudo o que era rádios, televisões e afins.

De um lado para o outro...
Nessa altura, com os 3 Watts de P.A.R. - Potência Aparente Radiada, já se atingiam distâncias consideráveis, tal era a limpeza do espectro radioeléctrico na Banda de Radiodifusão.
Dias depois, o improvisado "estúdio" era transferido para a loja de fotografia de António Reis. Com a azáfama característica da quadra Natalícia , a emissão parou por alguns dias. No entanto, o "bichinho" continuava a morder e a semente estava lançada.

Emissões regulares...
Em finais de Janeiro, mais concretamente a 19 de Janeiro de 1986, iniciavam-se as emissões regulares, já com uma espécie de estúdios e com a cobertura da primeira volta das eleições presidenciais. O 1.º entrevistado foi o presidente da Câmara da Sertã Ângelo Pedro Farinha que na altura falou sobre o decorrer do acto eleitoral. Nada melhor que uma cozinha transformada, para se fazer uma emissão de rádio, bem condimentada. Na cozinha do rés-do-chão da casa do sócio José Gonçalves, na Senhora do Desterro, nascia mais uma rádio pirata.
Uma rádio já apostada em mostrar serviço feito e dar à região uma voz defensora das suas origens. Daí se fez a transmissão do Festival de Folclore organizado pelo Rancho Folclórico e Etnográfico da Casa do Povo de Cernache do Bonjardim.

A primeira reportagem...
Ainda em Fevereiro desse ano, altura de eleições presidenciais, fez-se aquela que terá sido a primeira reportagem do exterior, em directo da frontaria do Mercado Municipal de Cernache do Bonjardim.
Freitas do Amaral, então candidato a Presidente da República, passava pela Vila em plena campanha eleitoral para a segunda volta das eleições presidenciais e disse à reportagem, segundo o Correio da Manhã da altura "...as emissoras locais representam uma grande vantagem pelo que significam de liberdade, pluralidade, iniciativa e descentralização..." . Ainda nesse directo haveria de ser interpelado sobre a criação de indústrias na Zona do Pinhal e sobre a assistência médica no concelho da Sertã.

A identidade do locutor...
Como a pluralidade sempre foi uma tónica assente nesta estação de Rádio, na altura um repórter deslocou-se à cidade de Tomar para ouvir o outro candidato a presidente da Republica , Mário Soares, que ali se deslocou também em campanha. Foi por esta altura que os locutores da Rádio se identificaram para o ar pela primeira vez. É que até aí existia algum receio, sendo que, havia notícias de apreendimentos de material e identificações levadas a cabo pela Direcção dos Serviços Radioeléctricos dos CTT, noutros locais do país.

A Associação Cultural e Recreativa Rádio Condestável
Havia por parte dos "carolas" preocupação em legalizar a situação. A 16 de Julho de 1986 os chamados sócios fundadores (num total de doze), dirigiram-se ao Cartório Notarial da Sertã, local onde foi lavrada a escritura da Associação Cultural e Recreativa Rádio Condestável.

A 13 de Setembro de 1986 eram eleitos os primeiros corpos gerentes desta casa. Assim os Órgãos Sociais eram compostos por:

Mesa da Assembleia Geral
Presidente – Nuno Pedro Gonçalves
1º Secretário – António Manuel da Silva Reis
2º Secretário – Carlos Alberto de Jesus Ribeiro

Direcção:
Presidente – José Fernandes Gonçalves
Secretário – Albano Ferreira Menezes
Tesoureiro – Manuel Salvado Pêgas

Conselho Fiscal:
Presidente – António Manuel de Oliveira Guerra
1º Secretário – António da Silva Mendes
2º Secretário – José Carlos da Silva Biscaia
A Direcção de Programas foi confiada a Carlos Ribeiro.

Por esta altura, ainda na Senhora do Desterro, construiu-se um pequeno espaço já mais parecido com um estúdio de rádio, de onde se continuou a emitir já com publicidade e grelha de programas entre as 17 e as 24h. Um pouco mais tarde os estúdios são transferidos para a Rua dos Pinheiros, para uma casa alugada.

A 22 de Outubro de 1988, de acordo com os Estatutos, é convocada uma Assembleia Geral com a finalidade de eleger os novos Órgãos Sociais que ficaram compostos da seguinte forma:

Mesa da Assembleia Geral:
Presidente – Franklin Adosindo e Silva
1.º Secretário – António Manuel da Silva Reis
2.º secretário – Nuno Pedro Gonçalves

Direcção:
Presidente: António Manuel da Cruz e Oliveira Guerra
Secretário: Albano Ferreira Alves Meneses
Tesoureiro: Carlos Alberto de Jesus Ribeiro

Conselho Fiscal:
Presidente: Manuel Salvado Pêgas
1.º Secretário: António da Silva Mendes
2.º Secretário: José Carlos da Silva Biscaia
Suplente: Valdemar da Conceição Silva

Novos Sócios...
A 20 de Novembro de 1991, em Assembleia Geral de sócios é decidido alargar o numero de sócios e admitir a entrada de Victor Jorge Camoezas Chora, José Carlos Mendes dos Reis, Luís Manuel Corrêa Biscaia.
Anteriormente, já tinham sido admitidos a sócios no dia 2 de Outubro de 1989, António Manuel dos Santos Marques, José Leitão da Silva Nunes e Manuel Ribeiro Fernandes.

Até ao dia 24 de Dezembro de 1988 fez-se de tudo um pouco.
Destaca-se a cobertura da 1.ª Divisão Distrital de Castelo Branco, onde militava o G.D.V. Sernache e o Sertanense Futebol Club. Também se efectuou a cobertura de outros distritais, casos de Santarém e Leiria.
Durante os grandes incêndios que na segunda metade da década de 80 assolaram o concelho da Sertã e vizinhos, como foi o caso do grande incêndio de Vila de Rei, esta estação emissora esteve em directo dos locais, servindo não só como meio de informação, mas também cooperando com as autoridades e bombeiros, quando estes necessitavam de algo da população.

A FAFIC e outras...
Para além destas realizações há ainda a destacar a cobertura intensiva da FAFIC - Feira Agrícola Florestal, Industrial e Comercial da Sertã, da Feira Festa de S. Miguel em Ferreira do Zêzere e de outras festas populares da Região.
Para o Brasil, em especial para os conterrâneos ali fixados e com saudades da sua terra natal, seguiu um programa sobre o concelho da Sertã que foi transmitido pela Rádio Capibaribe, no Recife, tendo obtido grande êxito junto da comunidade Sertaginense ali radicada .

Não esquecemos ninguém...
Estando a Rádio Condestável implantada numa zona bastante católica, nunca nos esquecemos dos que não se podem deslocar aos templos para ouvir a palavra do Senhor.
Assim, todos os Domingos, em directo da Igreja Matriz de Cernache do Bonjardim, chega a casa dos ouvintes a Santa Missa.
Nos primeiros tempos esta Santa Missa foi transmitida em directo do Seminário das Missões desta vila.

A transformação...
Em Maio de 1988 a Rádio Condestável transforma-se.
Aquilo que no princípio tinha sido um simples passatempo, passou a constituir uma ideia fixa e muito séria. Na rua dos Pinheiros, em casa alugada, foram montados novos estúdios e nova antena, situada em Alto Ventoso. Adquiriu-se outro material para melhor funcionamento da emissão, embora não se sabendo o que o futuro nos aguardava em termos de legalização.
Na altura, foi feito um investimento de algumas centenas de contos.

Um dia triste...
O dia 24 Dezembro, seria para muitos dos que religiosamente nos ouviam diariamente, um dos dias mais tristes das suas vidas, bem como para os cerca de 40 colaboradores que, diariamente, asseguravam as emissões regulares da Rádio Condestável.
Pouco passava das 13 horas e depois de uma maratona de uma semana a emitir o sentimento de quem nos ouvia, foi com a voz embargada pela comoção de um ADEUS e até breve que se fechou um ciclo.

A paragem obrigatória...
Era a paragem obrigatória nas emissões das rádios locais imposta pelo governo, para apresentação de candidaturas.
Houve ouvintes que se deslocaram a pé, ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima, solicitando à Virgem que a rádio reabrisse.
Não cruzando os braços, todos os envolvidos na rádio trabalharam durante dias e dias para ter a candidatura pronta. A Rádio Condestável não recorreu a qualquer gabinete especializado na elaboração dessa candidatura.

A candidatura...
Nela participou a Direcção elaborando todos os documentos a ela respeitantes, requerimentos, etc..
Fez-se rodear de um engenheiro electrotécnico da área de telecomunicações e electrónica (Eng.º Fernando Bexiga), que orientou o projecto técnico em termos de electrónica, com a colaboração da Ediser. O projecto eléctrico foi elaborado com a colaboração do Eng. Melro da EDP. A feitura do estudo de viabilidade económica, seria orientado por um economista desta terra (Dr.º Luís Patrício).
Ainda que não se tivesse recorrido a um gabinete especializado, os custos do projecto foram, ainda assim, elevados, tendo na altura a Direcção contraído um empréstimo junto de uma instituição bancária, já que, com a emissão parada, não havia receitas.
No último dia do prazo legalmente estabelecido (3 de Janeiro de 1989), cinco "valorosos mosqueteiros" (sócios), irromperam Palácio Foz dentro, levando nas mãos provas do trabalho já feito e dando conta do que previam fazer. Era a entrega da respectiva candidatura, que até teve honras de reportagem por parte da RTP no jornal da noite.

O regresso...
A tão famigerada licença (Alvará) chega a meio do quinto mês de 89 e ficou decidido começar a emitir, já legalmente, a partir do feriado municipal, assinalado anualmente a 24 de Junho, dia do nascimento de Nuno Álvares Pereira, Condestável do Reino, nascido em Cernache do Bonjardim, no ano de 1360.
Era assim retomada a emissão entre as 15 e a 01h na frequência de 104.4 MHz, a frequência legalmente atribuída ao concelho da Sertã.

Estamos no ar...
Neste dia festivo, memorável para o concelho da Sertã, bem como e em particular para a Vila de Cernache do Bonjardim, a emissão abriria às 8 da manhã com direito a salva de foguetes.
O dia 16 de Novembro desse ano é uma data a relembrar.
A partir dessa data a emissão seria alargada das 8 às 00 h e já na nova frequência de 91.3Mhz, por sugestão do Instituto de Comunicações de Portugal, na sequência de interferências mútuas com uma congénere de Portalegre.

A informação...
Como a nossa vocação é a de dar informação local e regional, a nacional e internacional ficariam a cargo da TSF – Radio Jornal, com a qual se fizeram algumas cadeias para transmissão de relatos de futebol e peças informativas.
A 1.ª intervenção da Rádio Condestável com esta estação emissora, aconteceu aquando de um grave acidente ocorrido na zona do Maxial com vários militares do Regimento de Comandos da Amadora.
A partir de Março de 92 a informação Nacional e Internacional ficaria a cargo da CMR-Nova.
Mais tarde foi substituída pela informação em simultâneo com a RDP Antena 1, com a qual se assinou um protocolo no dia 15 Novembro de 1994 e que ainda se mantém.
A informação Local e Regional surge na antena da Condestável às 9h – 11h – 13h – 15h – 18h – 21h, de Segunda a Sexta, aos Sábados às 11h e às 21h e aos domingos às 21h .
Sempre que alguma ocorrência constituía notícia, de imediato se avançava para o exterior.

Uma cadeia de Rádios Locais...
Durante alguns anos a Rádio Condestável, a Rádio Hertz de Tomar e a Rádio Local de Torres Novas efectuaram uma cadeia de rádios em termos de informação, emitindo um bloco de notícias, semanalmente, com a participação das 3 rádios, sendo emitido aos Sábados em directo.
Em termos de área de cobertura, a Rádio Condestável dá um grande passo com a passagem do centro emissor do Alto Ventoso para a Serra do Picoto Rainho, a 22 de Dezembro de 1993.
No início do ano seguinte, um forte vendaval deitaria por terra todo o trabalho que deu a colocar de pé a torre de emissão mas, como persistentes que sempre fomos, voltámos a erguê-la, o que só viria acontecer em Maio, devido à invernia.
Com a passagem da antena para o Picoto Rainho, a freguesia de Cernache do Bonjardim e parte de outras localidades vizinhas, ficariam menos cobertas em termos de sinal, pelo que se decidiu pela instalação de uma microcobertura na Serra de S. Macário, funcionando em 94.2 MHz.

Emissão 24h por dia...
A 1 de Junho desse ano e com um raio de cobertura significativamente alargado, iniciaram-se as emissões 24 horas por dia.
Na região, a Rádio Condestável foi a 1.ª estação a fazê-lo com animação própria o que veio a tornar-se num êxito de audiências.
É no final de 1999 que esta estação emissora dá um passo significativo, com a aquisição de instalações próprias na Avenida Dr. Abílio Marçal, mais espaçosas e, no campo tecnológico, renova-se quase completamente.
Passou a emitir com RDS (Radio Data System) que permite ao ouvinte identificar o nome da estação emissora (CONDSTVL) , a par de outras capacidades, como mudar automaticamente para a frequência (91.3 ou 94.2 MHz) que chegue com mais intensidade ao local onde se encontra.
Os estúdios também foram apetrechados com sistemas informáticos muito evoluídos.
A velha cassete já é mais uma recordação do que um meio de guardar sons.
De vez em quando ainda é utilizada nos exteriores.

Novos Corpos Sociais...
A 8 de Maio de 2000, os sócios são convocados para uma Assembleia Geral Ordinária para tratar, entre outros assuntos, da eleição dos novos corpos sociais que, com 11 votos a favor e uma abstenção, tomaram posse e ficaram ordenados da seguinte forma:

ASSEMBLEIA GERAL
Presidente: Manuel Ribeiro Fernandes
1.º Secretário: Carlos Alberto de Jesus Ribeiro
2.º Secretário: Luís Manuel Corrêa Biscaia

DIRECÇÃO:
Presidente: António Manuel da Cruz e Oliveira Guerra
Secretário: António Manuel da Silva Reis
Tesoureiro: José Carlos Mendes dos Reis
Vogal: Vítor Jorge Camoezas Chora

CONSELHO FISCAL:
Presidente: António Manuel dos Santos Marques
1.º Secretário: Manuel Salvado Pêgas
2.º Secretário: António da Silva Mendes
Suplente: Valdemar da Conceição Silva
Estamos na web...

Em Outubro de 2000, a Rádio Condestável, avançou com um novo "site" (sítio) na Internet .
Em www.radiocondestavel.pt pode conhecer melhor esta Estação Emissora. As principais notícias Regionais e os sons que lhes servem de suporte, podem ali ser consultadas.
A 30 de Julho de 2002 foi altura dos sócios, cumprindo os Estatutos, reunirem em Assembleia Geral Ordinária.
Um dos assuntos da ordem de trabalhos era a eleição dos corpos sociais.
Perante quinze sócios, foi apresentada uma lista para ser sufragada. Com nove votos a favor, três contra e três abstenções, ficaram assim constituídos os novos corpos sociais que, de imediato, tomaram posse:

ASSEMBLEIA GERAL
Presidente: José Fernandes Gonçalves
1.º Secretário: Vítor Jorge Camoezas Chora
2.º Secretário: Salvador Rodrigues dos Santos

DIRECÇÃO:
Presidente: Manuel Ribeiro Fernandes
Secretário: António Manuel dos Santos Marques
Tesoureiro: Carlos Alberto de Jesus Ribeiro
Vogal: José Carlos Silva Biscaia Nunes

CONSELHO FISCAL
Presidente: Nuno Pedro Gonçalves
1.º Secretário: Albano Ferreira Alves Meneses
2.º Secretário: Valdemar da Conceição Silva

 

A história continua...
E porque a história se faz dia a dia, fica o convite para voltar todos os dias...

 

 

ofertaB baseStandFrigi ofertaB baseStandFrigi

Av. Dr. Abílio Marçal, Lote 1 B 6100-267 Cernache do Bonjardim

geral@radiocondestavel.pt

Telefone: Geral: 274 800 020

Redacção: 274 800 028/7

Tempo Cernache Do Bonjardim


Estatísticas

Hoje
9921
Ontem
17841
Este mês
260477
Total
8839471
Visitantes Online
25