CASTELO BRANCO: Câmara já começou a preparar plano para a igualdade

O documento tem como base a cidadania, a igualdade de género nas suas dimensões sociais, económicas, políticas, cívicas e culturais, tendo como alicerce a democracia e a defesa dos direitos humanos.

CASTELO BRANCO: Câmara já começou a preparar plano para a igualdade

A Câmara Municipal de Castelo Branco deu início à elaboração do Plano Municipal para a Igualdade e não Discriminação (PMIND), alinhado com os prossupostos da Estratégia Nacional para a Igualdade de Género e Não Discriminação.
Em nota enviada à comunicação social, o presidente da câmara albicastrense, afirma que “Temos como objetivo tornar Castelo Branco um concelho mais inclusivo, onde a Igualdade de Género e Não Discriminação seja cada vez mais uma realidade. Nesse sentido, considero que a elaboração do plano municipal para a igualdade é essencial para impulsionarmos o desenvolvimento de um território de oportunidades para todos.”
O PMIND “irá refletir o compromisso político do Município de Castelo Branco, com uma agenda de igualdade e não discriminação, visando em primeira análise, que todas as pessoas do concelho tenham oportunidade de desenvolver as suas competências pessoais em liberdade para tomar decisões no que respeita a opções de realização e desenvolvimento pessoal, familiar, profissional, de participação social e política, sem embater em preconceitos baseados em estereótipos de género”, lê-se na nota enviada à comunicação social, onde se acrescenta que este plano “contemplará as vertentes interna e externa, promovendo ações dirigidas aos colaboradores do Município e promovendo e dinamizando ações de desenvolvimento em parceria com os agentes da Rede Social, respetivamente. Será desenvolvido em quatro fases e vigorará por quatro anos”.
Assim, deu-se início à primeira fase do documento, com a feitura do diagnóstico do território, identificando e priorizando as necessidades em matéria de igualdade, por
forma a esbater a desigualdade entre mulheres e homens, potenciando a prevenção e combate à violência contra as mulheres e violência doméstica, bem como a discriminação em matérias de orientação sexual e identidade de género.
A câmara municipal contribuirá, deste modo, enquanto organização impulsionadora do desenvolvimento local, para que o território seja + IGUAL em matéria de igualdade e não discriminação, promovendo, também a coesão social. 

Partilhar: