CASTELO BRANCO: Docentes do IPCB envolvidos em projeto para idosos

“Rolhas para a 3ª Idade” permite autonomia aos mais idosos na abertura de recipientes com rolhas circulares tradicionais de rosca.

 CASTELO BRANCO: Docentes do IPCB envolvidos em projeto para idosos

O processo de abrir recipientes acarreta alguma dificuldade aos mais idosos e a pensar nisso, um grupo de investigadores que inclui os docentes do Politécnico de Castelo Branco Pedro Silva, Domingos Santos e João Júlio Serrano, Ricardo Pocinho, presidente da ANGES – Associação Nacional de Gerontologia Social, Bruno Trindade, membro da ANGES e ainda Gonçalo Martins, designer e ex-aluno da Escola Superior de Tecnologia do IPCB, criou o produto ergonómico denominado “Rolhas para a 3ª Idade”.
“Estas rolhas foram concebidas num formato que permite a abertura de garrafas de forma autónoma, exigindo do utilizador muito menos força na mão. A solução advém do design com formato quadrado, triangular ou oval”, explica o politécnico em nota enviada à comunicação social.
“Este formato diferente permite que pessoas com lesões músculo-esqueléticos ou até a nível do túnel cárpico, típicas do envelhecimento, façam a abertura de garrafas de forma mais ágil, fácil e independente”, explica ainda. O envelhecimento é também propenso a esta dificuldade de movimentos, visto que “nesta fase da vida há perdas ao nível da coordenação óculo-manual que implica uma diminuição da destreza das mãos e da coordenação motora”, acrescentam os investigadores.
A equipa, composta por especialistas de diversas áreas, que vão desde a gerontologia, a educação, o design e a tecnologia, desenvolveu este mecanismo para suprir esta “lacuna ao nível da força biomecânica” desta população. A investigação dá “uma resposta funcional alternativa” para a melhoria do quotidiano dos idosos, constituindo uma mais-valia para o dia a dia destas pessoas.
Concebidas com materiais adequados e um conceito de design criativo, as “Rolhas para a 3ª Idade” estão já patenteadas com o Registo de Design no Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Partilhar: