CASTELO BRANCO: Hospital Amato Lusitano em nível de pré-catástrofe

O Hospital Amato Lusitano (HAL) em Castelo Branco alterou o seu plano de contingência para o nível de pré catástrofe, anunciou ontem em conferência de imprensa, Eugénia André, diretora clinica da Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB).

CASTELO BRANCO: Hospital Amato Lusitano em nível de pré-catástrofe

Com os últimos desenvolvimentos o HAL teve que alterar tudo o que até ao momento foi feito e preparar-se para receber os cidadãos de forma a que se lhes possa dar uma prestação de cuidados “digna”, disse Eugénia André, alertando que “não é a saúde que vai parar a pandemia, nem o vírus que vai desaparecer. Quem pode
Quem pode parar o risco de transmissibilidade não são os profissionais de saúde mas sim a população em geral e isso é uma obrigatoriedade de todos nós”, reforçou.
Eugénia André referiu ainda que não é a população dos lares que está neste momento a ocupar camas no HAL e neste momento a Unidade de Cuidados Intensivos já acionou o nível de catástrofe com uma capacidade de 20 camas. A diretor clínica deu nota que “ontem (terça-feira), abrimos 12 camas e em menos de duas horas ficámos apenas com uma cama vaga”.
Na enfermaria covid19 estavam internados 38 doentes que podem ir até aos 74. Neste momento o hospital vai continuar a trabalhar como até aqui embora com uma forte componente Covid-1. Na área da ULSCB morreram até agora 91 pessoas mas apenas uma faleceu na primeira fase da doença.
Nesta conferência de imprensa Eugénia André aproveitou ainda para fazer um balanço do que tem sido feito em matéria de testes de diagnóstico à Covid-19. “A ULSCB fez até agora 34 810 testes, destes mais de 4 mil foram positivos. Na última semana a positividade aumentou para o dobro”, disse.
Eugénia André referiu-se ainda aos surtos para dizer que estes aconteceram em Estruturas Residenciais para Pessoas Idosas e que por política daquela ULS, os doentes assintomáticos e que não necessitavam de cuidados especiais aí permaneceram. Neste momento há, na área do Agrupamento de Centros de Saúde do Pinhal Interior Sul dois surtos ativos.
A terminar a responsável deixou um apelo muito sério. Considerando que “todos ainda vamos a tempo de pensar seriamente se queremos estar infetados. Pode correr bem e termos apenas dores e febre, ou pode correr mal e termos que ser ventilados ou mesmo morrer”.

Partilhar: