CASTELO BRANCO: Hospitalização domiciliária da ULS assinala dois anos

Unidade Local de Saúde de Castelo Branco (ULSCB) faz balanço de dois anos de atividade.

CASTELO BRANCO: Hospitalização domiciliária da ULS assinala dois anos

A Unidade de Hospitalização Domiciliária (UHD) surgiu dia 25 de março de 2019, sob a tutela do Centro de Responsabilidade Integrado de Medicina Interna da ULSCB. A partir do início de 2020 esta unidade foi considerada Serviço de Hospitalização Domiciliária.
Como descreve a ULSCB, em nota enviada à comunicação social, esta equipa multidisciplinar é constituída por quatro enfermeiros, um enfermeiro chefe, quatro médicos, um diretor de serviço, com apoio de um fisioterapeuta, um assistente social, uma farmacêutica, um nutricionista e um assistente técnico.
Os doentes que cumprem critérios de internamento em UHD ficam internados em casa, tendo assegurado todos os cuidados médicos e de enfermagem, com visitas domiciliárias, uma ou mais vezes por dia. A UHD “tem-se mostrado uma mais-valia na recuperação de doentes com menor gravidade e em simultâneo a beneficiar do conforto do seu lar, ficando ainda menos expostos ao risco de infeções hospitalares”, explica a ULS, acrescentando que contribui também “para uma redução dos custos da permanência hospitalar, assim como de complicações clínicas. Nesta tipologia de internamento, o doente e a sua família assumem um papel mais ativo no processo recuperação”.
Como critérios de admissão destaca-se a estabilidade clínica do doente, a presença de um cuidador na maioria dos casos, mas também condições de habitabilidade e residência num raio de 30km.
Neste dois anos foram tratados/admitidos 302 doentes. A sua proveniência foi maioritariamente a partir de serviços de internamento do hospital, mas também do Serviço de Urgência e Consulta Externa.

O diagnóstico mais frequente na admissão foi a insuficiência cardíaca, pneumonia adquirida na comunidade, infeções do trato urinário, doença oncológica e doentes em últimos dias e horas de vida, esclarece ainda a ULS.
Atendendo à situação pandémica atual ocorreram várias transferências de doentes com infeção pelo SARS-CoV-2 do internamento hospitalar para UHD, de modo a libertar-se camas hospitalares e ainda, o compromisso de humanização que a estadia no domicílio permite a estes doentes.
Para o cuidado dos mesmos foi necessário fazer 2854 visitas domiciliárias, com uma média de cinco intervenções por visita e um tempo médio de 30 minutos e foram percorridos 35 296 Km.
Uma vez que se trata de um serviço de internamento, o doente tem assegurados os mesmos meios como se estivesse em ambiente hospitalar, incluindo a deslocação ao hospital para realização de exames complementares de diagnóstico e ainda disponibilização de um contato telefónico 24 horas por dia, para situações de emergência ou esclarecimento de dúvidas, reforça.
Todos os doentes da ULSCB, até à data têm beneficiado deste serviço, principalmente os mais idosos, reduzindo assim as síndromes confusionais, tão frequentes em ambiente hospitalar.
Destaca-se ainda um elevado grau de satisfação do doente e familiares/cuidadores por todos os serviços prestados pela equipa da UHD.
Na referida nota, o Conselho de Administração da ULSCB congratula-se com os resultados do trabalho efetuado por esta unidade e pretende incrementar o mesmo, estendendo-o a outras valências clínicas hospitalares.

Partilhar: