CASTELO BRANCO: Municípios assinam compromisso para poupar água

Objetivo é garantir recurso para as gerações vindouras.

CASTELO BRANCO: Municípios assinam compromisso para poupar água

Dezanove municípios e entidades gestoras assinaram esta segunda-feira, em Castelo Branco, um compromisso para a adaptação e mitigação das alterações climáticas nos serviços de água, para garantia das gerações futuras.
Estas preocupações estão cada vez mais na agenda política lembrou Leopoldo Rodrigues, presidente da Câmara Municipal de Castelo Branco, concelho que acolheu a assinatura deste compromisso:

Leopoldo Rodrigues dá o exemplo do seu concelho onde é preciso ainda fazer muito neste campo. O concelho tem uma larga área de rega de espaços verdes e jardins, mas “temos que repensar a forma de fazer a rega, ao mesmo tempo que mantemos os espaços verdes, aprazíveis e próximos dos cidadãos, valorizando a água e o seu aproveitamento”, constatou o autarca, ciente de que muito tem que ser feito para manter a balança equilibrada.
A proposta de assinatura desta "Declaração de Compromisso para Adaptação e Mitigação das Alterações Climáticas nos Serviços de Águas", partiu da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA).
Leopoldo Rodrigues sublinhou ainda que a água oriunda das estações de tratamento de águas residuais (ETAR) em Castelo Branco, "ainda é canalizada para os cursos de água e a ideia é reutilizá-la para rega e assim maximizar este recurso”.

O autarca explicou ainda que o município albicastrense está já a trabalhar, em conjunto com as escolas, para sensibilizar os mais novos para a problemática da água e das alterações climáticas.
Já o vice-presidente do município e responsável pelos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Castelo Branco (SMASCB), Hélder Henriques, referiu que, nos últimos anos, os serviços têm alcançado resultados muito positivos, sobretudo, ao nível das perdas de água que se cifram nos 12/13%:

No documento assinado em Castelo Branco, naquela que foi a segunda sessão, a nível nacional, os 19 subscritores entre eles os concelhos da Sertã, Proença-a-Nova, Oleiros, Vila Velha de Ródão e Castelo Branco, declararam o seu compromisso "em impulsionar os esforços necessários para a adaptação e a mitigação às alterações climáticas, em particular no que se refere aos serviços de águas, para garantia das gerações futuras".
O responsável da Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas APDA, Rui Godinho, explicou que este compromisso marca publicamente uma posição sobre um assunto que é um dos problemas estruturais mais complicados para a vida e para o futuro, olhando aos dados disponíveis de novembro último:

De referir que a Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas APDA é uma associação sem fins lucrativos, fundada em 1998, que conta atualmente com 175 membros efetivos.

Partilhar: