CERNACHE DO BONJARDIM: Distribuição postal muito atrasada na freguesia

Situação de doença de carteiros atrasa distribuição.

CERNACHE DO BONJARDIM: Distribuição postal muito atrasada na freguesia

Nas últimas semanas tem-se verificado um atraso significativo na distribuição de cartas por parte dos CTT, neste caso concreto, no território da União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais (UFCBNP) e as queixas não param de chegar à junta. A situação levou a que a presidente da edilidade, Filomena Bernardo, pedisse explicações ao responsável pelo Centro de Distribuição Postal da Sertã (CDP da Sertã), tendo ficado a saber que na base desta situação está o facto de dois carteiros estarem de baixa médica e de ter havido uma redução de dois giros. “Tudo isto originou um atraso de duas semanas na distribuição de correspondência”, confirmou, elucidando que “nenhuma carta da água da Câmara Municipal da Sertã veio no prazo”. Em casos como este, a junta está a receber estas cartas e o respetivo dinheiro para fazer o pagamento. No início desta semana, Filomena Bernardo tinha na sua posse cerca de 40 cartas da câmara.
Entre as várias complicações originadas por esta situação, a autarca deu conta de uma relacionada com a saúde, em que “uma utente esperava uma carta com umas receitas médicas urgentes e 12 dias depois ainda não tinham chegado. Há também situações em que os avisos para consultas chegam já o dia da consulta passou”, enumerou a presidente.
Noutro caso, Hugo Rafael, já habituado a receber correspondência com atraso mas “sempre com margem de manobra para fazer o pagamento”, agora recebeu uma carta da água com um mês de atraso. “A fatura do mês de março chegou no dia 5 de abril o que impossibilitou o pagamento no multibanco e tive que ir ao edifício da câmara da Sertã para fazer o pagamento da mesma”, explicou.
Por outro lado, Fernando Branco viveu uma outra situação incómoda com a fatura da luz que “não chegou no prazo normal, que seria por volta do dia 12 do mês passado (março)”, disse, acrescentando que a carta acabou por não chegar e “a minha senhoria foi alertada por mensagem a dizer que o limite para o pagamento da fatura estava a terminar”, relembrou. Entretanto, quando a carta chegou, o prazo para pagamento já tinha passado há 15 dias".

Filomena Bernardo reconhece que é humanamente impossível duas pessoas fazerem o trabalho de quatro. O problema é “a administração que quer fazer muito com pouco”, disse, anunciando que “a junta vai fazer uma exposição a Lisboa para ver o que é que podem fazer”. Neste contexto de atraso, a presidente deu nota que a empresa salvaguardou a entrega das reformas.
Também a Rádio Condestável tentou, junto dos CTT, saber porque é que esta situação aconteceu e, em resposta chegada esta tarde à nossa redação, “os CTT não confirmam a existência de atrasos na distribuição nas últimas semanas” e confirmam que “contam, neste momento com ausências de curta duração de dois carteiros, que estão a ser substituídos por trabalho temporário e deslocação de trabalhadores de outros locais para a Sertã. O facto de estes funcionários não conhecerem tão bem a região pode provocar constrangimentos nas entregas”, justificam os CTT que também “não confirmam a redução de dois giros para um”.
Reafirmando que não existem atrasos na distribuição na região, a empresa concorda que “neste momento existe alguma correspondência por entregar, devido à receção do Serviço Municipal de Águas e Saneamento (SMAS) da Sertã, tal como acontece todos os meses” e apelam “a que a população de Cernache de Bonjardim atualize a morada de acordo com o que já está espelhado no terreno. A Câmara Municipal da Sertã já colocou placas toponímicas, no entanto a população e as moradas devem ser atualizadas para que a correspondência chegue sem constrangimentos”, dizem.
A RC quis ainda saber se há necessidade de fazer um reforço de pessoal afeto à distribuição para esta área de distribuição (CDP da Sertã), ao que os CTT respondem que “estão 10 carteiros presentes para 10 giros”.

Partilhar: