CERNACHE DO BONJARDIM: Rancho do Clube lançou livro de memórias

Coletividade assinalou 31 anos de vida.

CERNACHE DO BONJARDIM: Rancho do Clube lançou livro de memórias

O Rancho Folclórico e Recreativo Clube Bonjardim, com sede no Nesperal, assinalou, no passado sábado, dia 16 de outubro, 31 anos de vida. Fê-lo com um jantar de gala onde homenageou algumas pessoas e instituições consideradas importantes para a coletividade (ver abaixo) e onde apresentou o livro que retrata os 30 anos da coletividade. Esta apresentação estava programada para ter acontecido no ano passado mas, por causa da pandemia, só este ano foi possível ter lugar.
Dando nota de que estes 31 anos foram muito “suados” onde foi preciso fazer “das fraquezas, forças",  Nuno Leitão, presidente do referido rancho, mostrou-se orgulhoso pois “construímos uma coletividade forte e unida que, apesar das dificuldades, soube reclamar para si e conquistar um lugar por direito próprio no mundo do folclore”, disse, igualmente orgulhoso pelas conquistas alcançadas e por serem “um dos embaixadores culturais do concelho da Sertã e uma força viva da União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais (UFCBNP)”. O presidente sustentou ainda que estas coletividades vivem da vontade férrea dos seus elementos e por isso este livro servirá de homenagem “às mulheres e homens que desde 1990 deram tudo por este rancho sem nada exigir em troca”, disse, confirmando a paixão de cada elemento pelo folclore “que se renova a cada subida ao palco e em cada nova atuação”, acentuou.

Denominado “Três décadas de memórias”, o livro é da autoria do jornalista Rui Lopes. Foi a primeira vez que escreveu sobre uma coletividade deste género e a maior surpresa, confessou, foi ter tido a noção de que uma associação nem sempre é formada só por gentes da terra sede. “Este rancho tem elementos que não são deste território nem deste concelho e isso é sinal de vitalidade. As associações não são de uma localidade e este rancho é o exemplo disso”, certificou.
Recém chegada à presidência da UFCBNP, Maria João Ribeiro participou no seu primeiro ato público enquanto presidente, onde realçou a “disponibilidade, a dedicação e a entrega que são necessárias para construir um projeto e uma obra bonita e esta família de elementos que aqui está”. “Trinta e um anos não devem ser só feitos de bons momentos e por isso ainda há mais motivos para celebrar”, sustentou.
Também participando no seu primeiro ato público, o presidente da Câmara Municipal da Sertã, Carlos Miranda, sentiu-se entre amigos e como fazendo parte da família, no entanto deixou bem vincado que, como presidente da câmara, “estou aqui hoje para defender todas as coletividades e todas são importantes, todas dinamizam a nossa cultura, o nosso desporto e todas têm, certamente, uma importância social muito grande”, disse. O autarca destacou, contudo, o trabalho “extraordinário” feito até hoje por esta coletividade, o papel que ocupou e a história que construiu “e que merece a nossa admiração” e aquilo que representa na defesa da cultura, dos valores e das tradições concelhias e que é “fantástico”.
Carlos Miranda aludiu ainda aos tempos de mudança que atravessamos, pediu à coletividade para ser capaz de se reinventar e de ser ambiciosa, deixando a certeza de que estará ao seu lado para, juntos, trilharem esse caminho.

Nesta cerimónia foram homenageados:

José Farinha Nunes - Ex. presidente da Câmara Municipal da Sertã
António José Simões - Presidente do Clube Bonjardim
André Nunes - Elemento do Rancho

Por antiguidade também foram homenageados os seguintes sócios:

Nuno Leitão
Tânia Nunes
David Leitão

Nota: Notícia atualizada em 20-10-2021.

Partilhar: