CERNACHE DO BONJARDIM: Se fosse vivo Tito Vitorino faria amanhã 100 anos

Filho lembra o pai.

CERNACHE DO BONJARDIM: Se fosse vivo Tito Vitorino faria amanhã 100 anos

Tito Príncipe Vitorino nasceu a 17 de agosto de 1921 em Cernache do Bonjardim e aqui faleceu a 22 de outubro de 1988. Se fosse vivo faria amanhã 100 anos.
Tito Vitorino era filho de Dalila Príncipe e Túllio Victorino, pintor. Com ele deu os primeiros passos na arte da pintura, fazendo disso um prazer que praticou ao longo da vida.
Após concluir os estudos secundários e absorvendo os ensinamentos do seu pai, decide percorrer outros Mundos nos anos 40 do século passado. Trabalhou por Lisboa, na ilha de Fernão Pó, em Luanda (onde trabalhou no Banco de Angola), sempre com a paleta e os pincéis na bagagem.
Regressou a Cernache do Bonjardim em 1961, casa com a Helena Guimarães, tem um filho. Trabalhou, até pouco antes de falecer, como funcionário do Instituto Vaz Serra.
A pintura era o seu grande prazer. Pintou Angola, o mar e a praia da Figueira da Foz, a sua terra, a sua região, a Beira-Baixa.
Expôs as suas pinturas, os seus trabalhos, maioritariamente por onde passou: em Luanda (no museu de Angola), Lobito, Braga, Tomar, Figueira da Foz (cidade e praia onde passava férias e que ao longo dos anos documentou e mostrou nas exposições que realizou no Casino), na Fafic-Sertã (ao longo dos anos deste certame e até ao seu falecimento).

Partilhar: