DISTRITO: A Terra Treme assinala-se em Vila Velha de Ródão

Ação de preparação para risco sísmico será dia 9 de novembro

DISTRITO: A Terra Treme assinala-se em Vila Velha de Ródão

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) realiza no próximo dia 9 de novembro, quinta-feira, às 11:09, de norte a sul do país, a 10.ª edição do Exercício Público de Sensibilização para o Risco Sísmico, denominado A TERRA TREME (www.aterratreme.pt).
A nível do distrito de Castelo Branco, este ano é o Agrupamento de Escolas de Vila Velha de Ródão a receber, simbolicamente este exercício. Nesta iniciativa, segundo avança o Comando Distrital de Operações de Socorro de Castelo Branco (CDOS) da ANEPC “irão ser realizadas sessões de sensibilização sobre a temática do risco sísmico, realização do exercício A TERRA TREME, na data e hora convencionadas, assim como a realização de um exercício de evacuação para o ponto de encontro do recinto escolar". Ainda no decorrer da iniciativa, todos os alunos terão a oportunidade de visitar uma exposição de meios, recursos e capacidades dos vários Agentes de Proteção Civil e dos Organismos/Entidades de Apoio instalada na proximidade da escola.
Esta iniciativa é realizada pelo CDOS em parceria com a Câmara Municipal de Vila Velha de Ródão através do SMPC, o Agrupamento de Escolas e o Corpo de Bombeiros de Vila Velha de Ródão, Agentes de Proteção Civil e demais Organismos e Entidades de Apoio. 
É objetivo “capacitar a população para saber como agir em caso de sismo, sensibilizando os cidadãos para o facto de viverem numa sociedade de risco, e desafiando-os a envolver-se no processo de construção de comunidades mais seguras e resilientes”, lê-se numa nota da Proteção Civil.
A TERRA TREME é um exercício nacional de sensibilização para o risco sísmico promovido anualmente pela ANEPC, em colaboração com diversas entidades públicas e privadas.
A iniciativa, inserida na Estratégia Nacional para uma Proteção Civil Preventiva, dá a conhecer as medidas e os comportamentos de autoproteção a adotar para a proteção de cada pessoa e, assim, contribuir para o incremento de uma sociedade mais consciente dos riscos e perigos a que está sujeita.
O exercício compreende a realização de três gestos simples que podem fazer a diferença a quem os praticar perante a ocorrência de um sismo. A ação desenrola-se durante um (1) minuto, no qual os participantes, a título individual ou coletivo (famílias, escolas, empresas, instituições públicas, privadas ou associativas), são convidados a executar os três gestos de autoproteção, ou seja: baixar, proteger e aguardar.
Além da população escolar, cuja adesão à iniciativa tem sido expressiva, a ANEPC tem procurado alargar a reflexão e o debate em torno da temática do risco sísmico e a participação neste exercício a outros sectores da sociedade civil.

Partilhar: