DISTRITO/GNR: Cidadão passa a poder agendar situações não urgentes

Nos Postos de Atendimento Reduzido.

DISTRITO/GNR: Cidadão passa a poder agendar situações não urgentes

O Comando Territorial de Castelo Branco da GNR está a implementar, a nível distrital, um novo projeto que visa o agendamento de situações não urgentes (denúncias, queixas ou outras situações) nos Postos de Atendimento Reduzido, como é o caso de Cernache do Bonjardim, entre outros. Tudo porque estes postos só funcionam num determinado período do dia e assim “este projeto poderá possibilitar ao cidadão ser atendido, fisicamente, nas instalações fora do período em que esses postos se encontram abertos”, explicou à Rádio Condestável o Oficial de Relações Públicas do Comando Territorial de Castelo Branco da GNR, Capitão Jorge Massano. “Se assim o entender, para qualquer assunto que o cidadão pretenda tratar fisicamente, seja apresentação de uma queixa ou denúncia ou qualquer outro tipo de assunto, só terá que ligar para o comando da GNR (272 340 900) e o operador dirá quais são os passos subsequentes a tomar no sentido de efetuar uma marcação prévia para o Posto de Atendimento Reduzido”, adiantou o Capitão.
Esta ação visa “maximizar a proximidade da GNR à população”, uma vez que existe a noção de que “há determinados assuntos ou situações que os cidadãos querem ver tratados presencialmente mas não o conseguem fazer pelos mais diversos fatores e assim, consoante a agenda do cidadão, e se assim o pretender, basta ligar e fazer uma marcação”, explicou.
Este sistema de agendamento funciona dentro e fora do horário físico dos postos de atendimento reduzido. Na prática, e no caso concreto de Cernache do Bonjardim, “se a pessoa não conseguir apresentar a sua situação na altura em que o Posto está fisicamente aberto, liga para o Comando Territorial de Castelo Branco que fará o agendamento do atendimento, que preferencialmente também será em Cernache do Bonjardim”, especificou. O projeto funciona também para quem, dentro do horário físico do posto, não tenha disponibilidade de aí se deslocar, clarificou o Capitão Jorge Massano.
Entretanto o Oficial de Relações Públicas ressalvou que este projeto é para situações não urgentes, garantindo que em “qualquer situação urgente, em que haja a necessidade de intervenção da GNR, a patrulha irá sempre ao local verificar a situação”.

Partilhar: