FIGUEIRÓ DOS VINHOS: Posto aquícola de Campelo está a ganhar forma

Obras deverão estar concluídas antes do final do ano.

FIGUEIRÓ DOS VINHOS: Posto aquícola de Campelo está a ganhar forma

Um dos projetos âncora do Algia - Plano de Gestão Integrada da Ribeira de Alge, no concelho de Figueiró dos Vinhos é a adaptação e modernização do Posto Aquícola de Campelo, o qual tem ainda associado a constituição de um Centro de Reabilitação de Ecossistemas Ribeirinhos. Esta quarta-feira, dia 23 de junho, João Paulo Catarino, secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território visitou as obras considerando, no final da visita que, e atendendo ao ritmo “assustador” que se está a perder a biodiversidade, “o restauro destes ecossistemas serão a política ambiental dos próximos tempos”, disse.
Para este projeto a autarquia convocou, para a realização técnica e pedagógica, as Universidades de Évora e de Aveiro. Coube à Universidade de Évora fazer todo o trabalho de análise, construção e desenvolvimento do projeto do viveiro, explicou o professor Carlos Alexandre, um dos responsáveis pelo trabalho de renovação, modernização e criação de novas instalações daquele posto aquícola que vai permitir a criação de trutas assilvestradas que terão capacidades melhoradas de sobrevivência quando forem libertadas no meio natural.
Quanto à Universidade de Aveiro, irá criar conteúdos para instalar uma casa contígua ao viveiro, que servirá para espaço interpretativo e museológico.
Este é um projeto piloto e inovador, já que a nível nacional não há nada semelhante, referiu ainda Carlos Alexandre. Este responsável deixou ainda o desejo de ver resolvidas algumas lacunas na legislação nomeadamente o regulamento da pesca recreativa. Gostaria de ver privilegiada a pesca sem morte “para manter os recursos” e este é “valioso”, pois pode trazer turismo e incrementar a economia ligada à pesca”, explicou. Por último gostaria ainda que os 30 açudes que a ribeira tem no seu percurso, em muitos casos bastante degradados, fossem melhorados.
Este projeto pretende ser mais amplo e Jorge Abreu, presidente da câmara de Figueiró dos Vinhos, explicou que “vamos criar aqui alguma atração para as pessoas se fixarem mas também para potenciar o turismo”. O autarca realçou ainda a importância das parcerias estabelecidas neste projeto que “será referência a nível nacional e que valoriza o património natural que temos”.
Orçado em mais de um milhão e cem mil euros, conta com uma comparticipação por parte do Programa MARE (Programa de Apoio ao Empreendedorismo no Mar) de oitocentos e dez mil euros. As obras deverão estar concluídas antes do final do ano.

Partilhar: