MAÇÃO: Concelho submeteu propostas de constituição de AIGP

Em abril foram submetidas oito propostas para constituição de Áreas Integradas de Gestão da Paisagem (AIGP) no concelho.

MAÇÃO: Concelho submeteu propostas de constituição de AIGP

Tratou-se de uma ação conjunta entre a Câmara Municipal de Mação e a Aflomação – Associação Florestal de Mação e foram incluídas todas as freguesias nas propostas apresentadas, abrangendo assim todo o território concelhio e permitindo uma igualdade de oportunidade e circunstâncias para todas, esclarece a autarquia maçaense em nota enviada à comunicação social.
De acordo com a edilidade, “os documentos fazem uma descrição cuidada do território, tendo a sua submissão marcado o início de um novo processo e preparação para o passo seguinte, que visa a concretização do objetivo, há muito almejado, para obtenção de um território mais sustentável em termos ambientais, valorizando-o simultaneamente nas suas variadas vertentes e contribuindo para o tão ambicionado desenvolvimento do setor florestal”.
Este trabalho foi desenvolvido e coordenado pelo vice-presidente da autarquia, António Louro, um dos grandes defensores da reforma da floresta, do ordenamento do território e gestão da paisagem.
As propostas agora apresentadas vêm juntar-se a muitas outras apresentadas, ao longo das duas últimas décadas, pela referida edilidade nesta matéria.
De acordo com a Direção Geral do Território, as “AIGP visam uma abordagem territorial integrada para dar resposta à necessidade de ordenamento e gestão da paisagem e de aumento de área florestal gerida a uma escala que promova a resiliência aos incêndios, a valorização do capital natural e a promoção da encomia rural. Nestas áreas serão criadas as condições necessárias para o desenvolvimento de Operações Integradas de Gestão da Paisagem (OIGP) a executar num modelo de gestão agrupada da responsabilidade de uma entidade gestora e suportada por um programa multifundos de longo prazo que disponibiliza apoios ao investimento inicial, às ações de manutenção e gestão ao longo do tempo e à remuneração dos serviços dos ecossistemas”.

Partilhar: