MAÇÃO: Pinhal Maior e CCPC – PME assinaram protocolo de cooperação

Aconteceu ao final da manhã de hoje num ato simbólico que se espera, venha a dar frutos nas áreas da agricultura e das vendas online.

MAÇÃO: Pinhal Maior e CCPC – PME assinaram protocolo de cooperação

Depois da assinatura de um protocolo de cooperação entre a Câmara de Comércio Portugal-China, Pequenas e Médias Empresas (CCPC-PME) e a Comunidade Intermunicipal do Médio Tejo (CIM Médio Tejo), hoje, 14 de maio, foi a vez do mesmo protocolo ser assinado com a Associação de Desenvolvimento do Pinhal Interior Sul, Pinhal Maior, que abrange os municípios de Mação, Proença-a-Nova, Sertã, Vila de Rei e Oleiros. 
O objetivo é estabelecer relações “mais profícuas” entre estes cinco municípios (população e empresas) e a CCPC-PME, começou por referir o presidente da Pinhal Maior, Vasco Estrela. Pretende-se que “esta relação seja consubstanciada em ações concretas que permitam o desenvolvimento do nosso território e das nossas empresas, tirando partido do nosso potencial”, acrescentou.
A região é considerada deprimida mas o seu potencial é considerável logo, tudo o que possa contrariar a dinâmica recessiva vivida ao longo dos últimos anos é bem vindo, disse Vasco Estrela, igualmente presidente da câmara de Mação, pedindo à China que este protocolo “possa abrir portas ao investimento chinês” e deixando claro que nesta região “há empresas com capacidade suficiente para poderem investir na China e aí ter mercado para os seus produtos”.
O protocolo já assinado com a CIM Médio Tejo foi assim alargado a mais dois municípios, ou seja, Proença-a-Nova e Oleiros, facto destacado pelo vice-presidente da Pinhal Maior, Ricardo Aires, já que o objetivo é “ter uma região só em que todos têm as mesmas condições para receber investimento” e uma região que tem “boas empresas que podem exportar para a China”, disse.
Por hora ainda não existe qualquer projeto concreto mas a ideia é apostar na agricultura biológica e nas vendas online, explicou Y Ping Chow, promotor da CCPC-PME. “Se a região tiver a capacidade de desenvolver, e se nós conseguirmos compradores, a aposta é nos transformados para poderem aguentar mais tempo”, confirmou, deixando contudo a ideia de que o interesse maior é nas “vendas online” e na procura de parceiros para “criar loja de venda online e ter um stock na China”, especificou.
Neste aspeto todos os concelhos nesta região têm possibilidades de responder às aspirações chinesas, disse o presidente da Pinhal Maior, ressalvando contudo que Vila de Rei e Proença-a-Nova, com o azeite e o vinho, estão em condições mais avançadas”.
De realçar que existe ainda a possibilidade de ser criado, por parte da China, um fundo de investimento na agricultura.
Vasco Estrela havia ainda de deixar a ideia de que “é importante que possamos afirmar estes territórios destinatários de investimento mas onde também já se cria riqueza e onde há potencial para exportar para todo o mundo".
De referir que esta cerimónia decorreu no concelho de Mação, onde marcaram presença os presidentes das câmaras de Mação e de Vila de Rei, Vasco Estrela e Ricardo Aires, respetivamente, os vice-presidentes das câmaras de Oleiros e de Proença-a-Nova, Vítor Antunes e João Manso, respetivamente, o adjunto do presidente da câmara da Sertã, António José Simões e o secretário executivo da Pinhal Maior, Augusto Nogueira.

Partilhar: