MAÇÃO: Projeto “Mação, um Concelho Amigo do Idoso” dá prémio

À semelhança de outros Municípios na nossa região, também o de Mação foi distinguido com o prémio “Autarquia do ano”, desta feita com um projeto ligado aos idosos.

MAÇÃO: Projeto “Mação, um Concelho Amigo do Idoso” dá prémio

Na edição numero dois do Prémio Autarquia do Ano, organizado pela Lisbon Awards Group e que distingue o que de melhor se faz nas freguesias e câmaras do País, foram premiados 30 projetos, num total de 10 categorias e mais de 25 subcategorias. O concelho de Mação arrecadou o Grande Prémio com o projeto “Mação, um Concelho Amigo do Idoso”.
Como refere Vasco Estrela, presidente da autarquia maçaense “este prémio vem dar alento a um projeto que acabam por ser vários e que têm um grupo de trabalho vasto composto por técnicos da câmara, de várias áreas e a quem se deve muito este reconhecimento. Sendo um Município com uma taxa significativa de população idosa, cerca de 38%, distribuída por um território vasto, disperso e despovoado, composto por cerca de 120 localidades, este público-alvo assume-se como muito especial, que requer muita dedicação e atenção”, lê-se numa nota enviada à comunicação social.
O autarca sublinha ainda que “tudo aquilo que a autarquia possa fazer para possibilitar que o seu dia-a-dia seja o mais agradável, enriquecedor e confortável possível, é uma aposta ganha. Esta distinção reforça a nossa convicção e a certeza de que é uma área de trabalho em permanente mudança, com desafios diários a quem daremos sempre e merecida atenção”.
Ana Firmo Ferreira, CEO Lisbon Awards Group, refere que “nunca como hoje fez tanto sentido premiar os projetos autárquicos mais inovadores e relevantes para os seus territórios e populações.”
Como relembra a autarquia, para o desenvolvimento das atividades junto dos idosos, a autarquia dispõe de três serviços: Gabinete de Apoio à Pessoa Idosa, Clube Sénior e Universidade Sénior, desde 2012, criados no âmbito de um Programa denominado “Mação Um Concelho Amigo do Idoso”, uma política municipal para a população sénior e idosa, com respostas que promovem o desenvolvimento, a participação, a autonomia, a saúde física e psíquica, em prol da melhoria da qualidade de vida do idoso, tal como o seu enriquecimento social e cultural.

 O Gabinete de Apoio à Pessoa Idosa, pretendia ser uma resposta mais individualizada, é uma estrutura local, descentralizada, que presta um serviço público e gratuito, que tem como objetivo atender os munícipes idosos, no sentido de os apoiar na resolução de problemas de saúde mental e sociais. Contudo, a falta de recursos humanos tem limitado a sua capacidade de resposta e, este gabinete tem se centrado no atendimento pontual de pessoas com demência.
O Clube Sénior destina-se a idosos e adultos com idade igual ou superior a 50 anos. É uma forma, gratuita, de promover o envelhecimento ativo através de atividades descentralizadas, que promovem o bem-estar físico, psíquico e social.
Até 2017 eram 15 grupos, e os idosos tinham semanalmente atividade física e mensalmente Música e Ginástica Mental. Atualmente dispomos de 13 grupos e de 2017 até 2019 os idosos passaram a ter só a atividade física semanalmente e a musica quinzenalmente.
A Ginástica mental e a música, enquanto atividades de estimulação cognitiva, pretendiam ocupar os idosos mais isolados, mas também estimular o cérebro, prevenindo a doença de alzheimer, e desta forma, combater o isolamento e a solidão, em que muitos dos nossos idosos vivem.
Sendo Mação um Concelho com um povoamento disperso e envelhecido e, como forma de combater a exclusão social, para quem não tem como se deslocar, a autarquia assegura o transporte.
A Universidade Sénior é, para além de um projeto educativo e formativo, um projeto social e de saúde, contribuindo para a melhoria da qualidade de vida dos séniores, assim como profilaxia para o isolamento e exclusão social.
Destina-se a pessoas a partir dos 50 anos, sendo uma forma de participação na sociedade de modo ativo, para que envelheçam ativamente e não dependam de terceiros.
A Universidade Sénior, com o apoio de professores voluntários e técnicos da autarquia, ministra disciplinas, contudo, funciona fora do sistema escolar, dando primazia à divulgação e convívio cultural, num sistema de educação informal, que não conduz à certificação. Este visa criar e dinamizar regularmente atividades sociais, culturais, educacionais e de convívio, em regime não formal, sem fins de certificação e num contexto de aprendizagem ao longo da vida.
Para o futuro pretende-se com este projeto aumentar e capacitar de materiais as atividades já existentes de atividade física, ginástica mental, musica e criar mais atividades: dança, artes manuais, informática, trabalhar histórias de vida e memórias. de modo a que as pessoas tenham um horário com diversas atividades, onde podem ocupar o tempo, conviver com outras pessoas e prevenir doenças do foro mental. É pretendido ainda, aumentar a capacidade de resposta deste projeto, que já mostrou provas de sucesso, desde 2012.

Partilhar: