MAÇÃO: Vasco Estrela tomou posse para “mandato exigente”

Após ter terminado um “mandato atípico”.

MAÇÃO: Vasco Estrela tomou posse para “mandato exigente”

Vasco Estrela foi eleito, pela terceira vez consecutiva, presidente da Câmara Municipal de Mação. Tomou posse no passado sábado, dia 16 de outubro e no agarrar do último quadriénio à frente dos destinos maçaenses prometeu continuar a ser o que foi até hoje, ou seja, “um presidente próximo das populações, inclusivo, que quer e irá fazer com todos. Serei previsível, solidário e não sectário”, disse.
Antes de projetar o próximo mandato recordou o último, o qual classificou de “atípico e com inúmeras situações por resolver”, ou seja os incêndios de 2017 e 2019, a queixa contra a Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, o processo contra o Estrado, a depressão Elsa e a Covid-19. Estas passagens no tempo fizeram com que tivesse “arriscado a minha credibilidade e a minha honra”, disse. Confessou ter-se sentido “muitas vezes sozinho, com poucas solidariedades, mesmo dentro do partido”, mesmo assim seguiu em frente e, como destacou, “ganhamos todos os combates em prol da justiça e da verdade” e “conseguimos ser respeitados pela postura que tivemos e pela cordialidade que mantivemos com os membros do Governo e com a administração descentralizada do Estado”.
Ainda numa reflexão sobre o passado, o autarca mostrou-se consciente dos custos de certas decisões tomadas, nomeadamente no âmbito das faixas de gestão de combustível ou na adesão, aprovada por unanimidade em reunião de câmara e sessão da Assembleia Municipal, à empresa Tejo Ambiente. No primeiro caso, explicou, “estamos a cumprir a lei e a fazer o que deve ser feito para proteger pessoas e bens”. No segundo caso esta será “a médio prazo, a melhor e única solução para a resolução dos graves problemas que temos no abastecimento de água ao nosso concelho”.
A colaboração mútua para um “mandato exigente” foi outro dos pontos abordados no discurso de tomada de posse. A transferência de competências será uma inevitabilidade a partir de abril próximo, seja do Estado para as câmaras, seja destas para as juntas e neste último exemplo haverá “conversações com abertura de espírito”. O presidente da câmara não terminou o discurso sem antes relembrar algumas promessas eleitorais destacando “a requalificação das escolas 2,3S de Mação, os núcleos museológicos em Envendos e Carvoeiro, a construção de um arquivo municipal, a concretização das nove Áreas Integradas de Gestão da Paisagem em todas as freguesias do concelho, o alargamento da Zona Industrial das Lamas, a reformulação e incremento de novos incentivos de apoio aos empresários, requalificações do centro histórico de Mação e urbanas em Cardigos e Envendos”.
Haverá ainda uma atuação na resolução de situações de carência habitacional devidamente comprovadas, bem como a reabilitação da extensão de saúde em Cardigos e a reabilitação da Praia Fluvial de Ortiga, construção de zona de bungalows nas praias fluviais de Cardigos e Carvoeiro e de uma zona de lazer em Barca da Amieira.
Por outro lado, a autarquia continuará a apoiar as associações e a reabilitar escolas antigas.
Os tempos não serão fáceis muito por causa da redução de verbas do Orçamento de Estado mas Vasco Estrela confia no que virá do Plano de Resolução e Resiliência e no que continuará a ser a captação de investimento estrangeiro.
Saldanha Rocha tomou posse como presidente da Assembleia Municipal e no seu discurso apelou à cooperação de todos, desejando que tenham comportamentos elevados, dignos e construtivos. 

Partilhar: