OLEIROS: Coprodução artística já alcançou cerca de 6 mil pessoas

Invasões Francesas em destaque.

OLEIROS: Coprodução artística já alcançou cerca de 6 mil pessoas

Decorreu este sábado, em Oleiros, a leitura encenada “Invasões Francesas na Beira Baixa”, a qual retratou a ocupação da Beira Baixa e a revolta popular, na 1ª Invasão Francesa. A iniciativa - inserida no projeto Beira Baixa Cultural 2.0, promovido pela Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa (CIMBB) -, contou com um auditório composto, de acordo com a ocupação permitida pelas autoridades de saúde no contexto pandémico e ainda com a transmissão em direto nas redes sociais, a qual teve, até ao momento, cerca de 6 mil visualizações, divulga a Câmara Municipal de Oleiros em nota enviada à comunicação social.
Este concelho apresentou a primeira de seis coproduções inseridas numa Programação Cultural em Rede, patente no referido projeto da CIMBB e municípios constituintes (Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor, Proença-a-Nova e Vila Velha de Ródão). Ao longo do mês de julho o mesmo espetáculo (com guião e encenação comuns) irá percorrer os restantes municípios desta CIM.
Em Oleiros, o elenco caracterizou-se por um grupo intergeracional que se envolveu em todas as fases de preparação do espetáculo, desde a preparação das roupas, adereços, cenários, entre outros. No final, para além da sua capacitação e de uma experiência memorável, a satisfação era geral, visível num sentimento de superação para todos. O Município aproveita para “transmitir o seu reconhecimento público a todas as pessoas que contribuíram para o sucesso desta iniciativa”, lê-se na mesma nota.
Refira-se ainda que os cenários foram integralmente criados pela equipa inscrita no projeto, destacando-se o envolvimento das artistas locais Rosa Afonso e Inês Pratas. Também o Agrupamento de Escolas Padre António de Andrade, a Santa Casa da Misericórdia de Oleiros, o Grupo de Cavaquinhos do Estreito e os Bombeiros Voluntários de Oleiros, contribuíram para a concretização desta ação, nomeadamente ao nível do empréstimo de algum guarda-roupa, da cedência do espaço, do apoio na sonoplastia e realização de testes rápidos de antigénio (ao elenco), respetivamente.
O projeto intermunicipal é financiado pelo Centro2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) da União Europeia.

Partilhar: