OLEIROS: Património histórico de Álvaro integrou rota de visitas guiadas e encenadas

Iniciativa decorreu no passado sábado, dia 18 de setembro.

OLEIROS: Património histórico de Álvaro integrou rota de visitas guiadas e encenadas

No passado sábado, dia 18 de setembro, a Aldeia do Xisto de Álvaro foi palco da segunda visita guiada e encenada promovida pelo Município de Oleiros, no âmbito de uma rota inserida no projeto Beira Baixa Cultural 2.0, recorda a autarquia em nota enviada à comunicação social.
Além das histórias e memórias vividas neste dia, a iniciativa contou com a estreia do Grupo de Cantadeiras de Álvaro que fez as delícias dos presentes.
Raquel Freire foi a guia local e levou o grupo de participantes a descobrirem as tradições desta Vila. A capela de S. Gens, a importância histórica de Álvaro, a influência socioeconómica da Casa Mendonça, a padaria do Sr. Carlos Martins onde se produzia o pão de Álvaro, a barbearia do Sr. Gaspar, a Casa das Bordadeiras Benedita e Isabel, o antigo posto dos CTT, o barqueiro d´Álvaro (Sr. António Correia), o sapateiro (Sr. João Santos), a mercearia da D. Manuela e a degustação das típicas filhós de forma, o alfaiate (Sr. Carlos Pires), o ferreiro (Sr. José Barata), a Igreja da Misericórdia, o Caminho de Santiago e a Casa dos Hospitalários, a Marcha de Álvaro, a tradição piscícola do Zêzere descrita pelo pescador desportivo Manuel Freire, foram apenas alguns dos ativos histórico-culturais retratados e descritos pela Câmara Municipal de Oleiros numa nota enviada à comunicação social.
Ao longo do percurso, o grupo de teatro Váatão recriou várias situações, onde se incluiu ainda um cântico celestial na Igreja Matriz de Álvaro, dedicada a Santiago Maior. Os Jograis do Paço, a Tia Ana Moleira, o Carteiro Enamorado, o Cavaleiro Hospitalário ou o Guardião das Águas, foram algumas das encenações contempladas.
De acordo com a autarquia, “a visita ficou valorizada pelos testemunhos na primeira pessoa e pela partilha das histórias de vida pelos presentes, numa importante recolha no terreno efetuada pelas técnicas da cultura e turismo do Município”.
A ação terminou com a visita ao Atelier do Xisto à Cortiça, de Teresa e José Nunes, onde os participantes puderam apreciar as originais peças de artesanato feitas com recursos endógenos, como os afamados tropeços de cortiça. Na ocasião houve ainda lugar para uma degustação de licores tradicionais, tendo o Vale da Ribeira de Alvélos e o casario de Álvaro como pano de fundo. No final, os participantes puderam também visitar o Mercado do Xisto que decorria junto ao rio Zêzere, na praia fluvial de Álvaro.
Recorde-se que a Rota de Visitas Guiadas e Encenadas está inserida no projeto Beira Baixa Cultural 2.0, sendo cofinanciado no âmbito do Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia.
A iniciativa regressa a 9 de outubro, numa visita à aldeia de Sarnadas de S. Simão. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas na Casa da Cultura de Oleiros, através do 272 680 230 ou presencialmente, até ao dia 1 de outubro. De relembrar que a atividade, tal como a anterior, decorre de acordo com as normas emitidas pela DGS e com limite de participações. A sua realização poderá ser reavaliada se a atual situação pandémica se alterar.

Partilhar: