OLEIROS: População quer espreguiçadeiras no rio e ponte suspensa na ribeira

Projetos vencedores do Orçamento Participativo já são conhecidos.

OLEIROS: População quer espreguiçadeiras no rio e ponte suspensa na ribeira

A primeira edição do Orçamento Participativo (OP) de Oleiros já deu a conhecer os projetos vencedores. Assim, na categoria OP Jovem, venceu o projeto “Chapéus e espreguiçadeiras na margem do rio" e na categoria OP Geral, o projeto vencedor é "Ponte Suspensa, Tipo Himalaia".
Levar à prática o orçamento participativo era uma promessa eleitoral que vinha de 2017 e que este ano viu a luz do dia. Ao todo foram apresentados 33 projetos, tendo passado à segunda fase 24. Os números agradaram aos responsáveis autárquicos, muito por se tratar da primeira edição e, em declarações à Rádio Condestável, Paulo Urbano, vereador da autarquia oleirense, confirmou que “tivemos muitos participantes e muitos votantes”, destacando ainda que estes projetos “servem para dar voz e para que os cidadãos do nosso concelho possam ser chamados a participar, de forma cívica, com as suas ideias e sintam que o dinheiro que é gasto no nosso concelho também tem uma parte ativa sua”, disse. “Esta é uma forma de trazer as pessoas a participar num projeto na sua freguesia ou concelho”, acrescentou.
Aos dois projetos eleitos vai ser atribuída uma verba total de 50 mil euros, a qual será cabimentada no próximo Orçamento Municipal. No caso do OP Jovem, Ana Carina Freire propôs a colocação de chapéus de sol e espreguiçadeiras na Praia Fluvial de Álvaro, nas margens do Rio Zêzere visto que “as margens não têm nada”. Assim as pessoas usufruíriam daquele espaço de forma diferente, acredita. Ana Carina cumpriu assim o dever de lutar pela sua terra pois, como disse, “os jovens é que têm que fazer algo pelo futuro das suas aldeias. Não podemos estar sempre calados”, reforçou.
No OP geral venceu a ideia de Carla Pedroso. Esta munícipe pretende a construção de uma ponte suspensa de 35 metros na Ribeira da Bouça. Esta funcionará como um complemento ao percurso pedestre (GeoRota do Orvalho) ali existente. “Em vez de ter o percurso em volta da ribeira, atravessava de um lado para o outro através desta ponte”, explicou à Condestável.
Atendendo à participação e interesse dos oleirenses, no próximo ano a autarquia está a ponderar aumentar o valor disponibilizado para cada projeto.

Partilhar: