PAMPILHOSA DA SERRA: Autorizada plantação de primeiros hectares de vinha

Junto à aldeia de Trinhão.

PAMPILHOSA DA SERRA: Autorizada plantação de primeiros hectares de vinha

O Instituto da Vinha e do Vinho (IVV) atribuiu ao Município de Pampilhosa da Serra autorização para plantação dos primeiros 30 hectares de vinha com Indicação Geográfica Protegida (IGP), na AIGP da Travessa, junto à aldeia do Trinhão, informou o Município de Pampilhosa da Serra em nota enviada à comunicação social.
No seguimento dos trabalhos preparatórios para a transformação da paisagem na AIGP da Travessa, o Município de Pampilhosa da Serra submeteu, no passado dia 13 de abril, uma candidatura junto do IVV, à linha das Novas Autorizações de Plantação de Vinha.
Decorrido o processo de avaliação, deliberou o IVV contemplar a candidatura com uma área inicial de nova vinha de 30 hectares (ha), com Indicação Geográfica Protegida (IGP) Beira Atlântico, sob a égide da Comissão Vitivinícola Regional da Bairrada, disponibilizando no registo vitícola a correspondente autorização de nova plantação, para um prazo máximo de três anos, explica a autarquia.
A área desta primeira autorização decorre da aplicação dos critérios definidos no Despacho n.º 2560-A/2022 de 25 de fevereiro, que determina a área total máxima a atribuir, no país e por região, definida em 1% da área total de vinha existente, limitando a área máxima a atribuir por requerente a 30ha, caso a área máxima requerida fosse superior à área total máxima a atribuir, como foi o caso neste ano de 2022.
Rui Simão, vereador da Câmara Municipal de Pampilhosa da Serra, manifestou que a atribuição da área máxima ao Município para o ano 2022, “premeia todo o trabalho realizado pelo município, pela Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra e pela Comissão Vitivinícola Regional da Bairrada, parceiros desde o primeiro momento com contributos em várias áreas, designadamente através de estudos e pareceres que robusteceram a qualidade e o crédito do projeto”.
Ainda no seguimento desta autorização para a plantação de nova vinha com estatuto IGP, Rui Simão declarou que se trata de “um novo marco no caminho da transformação da paisagem na AIGP da Travessa, e premeia a adesão dos proprietários a este projeto e o entusiasmo e interesse com que as comunidades e outros agentes públicos e privados têm dedicado a esta missão”.

Partilhar: