PAMPILHOSA DA SERRA: Jorge Custódio abraça “missão de vida” na sua “serra”

Elementos da câmara e Assembleia Municipal tomaram posse sábado, dia 16 de outubro.

PAMPILHOSA DA SERRA: Jorge Custódio abraça “missão de vida” na sua “serra”

O resultado expressivo saído das eleições de 26 de setembro ditou que Jorge Custódio, do PSD, liderasse a câmara da Pampilhosa da Serra nos próximos quatro anos. O resultado é encarado por si, e pela sua equipa como uma “missão de vida”, por isso, e como fez questão de sublinhar na sua tomada de posse, este sábado, dia 16 de outubro, será um eterno revoltado perante a indiferença com que os sucessivos governos têm tido para com este território. “Enquanto não se fizer justiça e discriminação positiva a estes territórios do interior serei um eterno irreverente na procura de soluções inovadoras que nos façam sair da nossa própria caixa”, tudo porque acredita no potencial desta terra, da sua “serra”.
O futuro será de realização de vários projetos, começando logo pela câmara, preparada para receber a transferência de competências, para responder aos avisos de candidatura por parte do PRR e do próximo quadro comunitário de apoio. Nos próximos quatro anos quer simultaneamente levar a cabo um ambicioso caderno de obras públicas, sendo “a retificação da Estrada Nacional 344, uma obra há muito desejada e pela qual o presidente cessante tanto lutou, a construção de uma nova ponte sobre o Rio Unhais junto ao cemitério da vila, a retificação da estrada Municipal entre a Portela de Unhais e Dornelas do Zêzere, o projeto de arranjo urbanístico da zona do Cabeçinho, a requalificação da Casa Dr. Afonso que servirá para implementar um espaço coworking".

Mas se estas obras são importantes, a da fixação de pessoas é a maior de todas. Assim, Pampilhosa da Serra está disposta a investir forte e irá “reforçar financeiramente a medida “A Minha Primeira Ajuda” atribuindo 5 mil euros para os primeiro e segundo filhos e 10 mil para terceiros e seguintes”. Mas para que estes apoios sejam utilizados é preciso criar emprego e este executivo irá iniciar a “reformulação do regulamento de apoio à criação de postos de trabalho nas associações, atribuindo um reforço financeiro às mesmas”. Considerando que o setor público deve ser alavanca para a criação de emprego no setor privado, é aqui que “devemos ter o nosso foco”, disse.
De uma forma particularmente emotiva, o discurso de Jorge Custódio ficou marcado por palavras de agradecimento aos presidentes da Assembleia Municipal e da câmara municipal cessantes, Hermano Almeida e José Brito, respetivamente. “Rigor”, “seriedade” e “competência”, foram os predicados dirigidos a Hermano Almeida, pela forma com que geriu os destinos de um órgão autárquico de “relevância”.
Não menos efusivos foram os elogios deixados ao ex-presidente da autarquia pampilhosense a quem, Jorge Custódio, expressou a sua admiração pelo “trabalho”, “caráter” e pela forma com que abraçou a causa pública movido pelo amor que dedica ao concelho.

Partilhar: