PAMPILHOSA DA SERRA: Observatório Espacial tem novo telescópio

Estará ao serviço do Ministério da Defesa Nacional.

PAMPILHOSA DA SERRA: Observatório Espacial tem novo telescópio

Com o objetivo de monitorizar satélites geoestacionários, o Ministério da Defesa Nacional tem ao serviço um novo telescópio no Observatório Espacial de Pampilhosa da Serra, localizado na aldeia de Porto da Balsa.
Segundo Domingos Barbosa, investigador do Instituto de Telecomunicações de Aveiro, isto significa que o observatório possui agora uma “capacidade única em Portugal para rastrear e detetar satélites, assim como para monitorizar os detritos espaciais que podem provocar danos nesses satélites”, explica a câmara da Pampilhosa em nota enviada à comunicação social.
Apenas as autoridades designadas pelo Ministério da Defesa Nacional, o Instituto de Telecomunicações e as instituições protocoladas podem operar este novo aparelho. Domingos Barbosa, salientou que, neste momento, esta é a “estação radioastronómica de referência em Portugal Continental e a única estação completa, radioastrómica e observação ótica", em todo o território nacional, incluindo ilhas.
Para além da vertente de investigação, estas caraterísticas fazem com que este seja igualmente um espaço com forte propensão para o astroturísmo. De acordo com Domingos Barbosa, está a ser realizado um trabalho de fundo, em colaboração com a Câmara Municipal, “para haver um regime de visitas e para poderem visitar os equipamentos” e, inclusivamente, alguns turistas “poderem trazer os seus próprios equipamentos” operando-os de uma forma lúdica, acrescenta ainda a autarquia.
O investigador frisou ainda que estão a decorrer outro tipo de “ações concertadas com as autoridades do turismo”, nomeadamente ao nível do projeto Dark Sky Aldeias do Xisto, “que vai ter o seu epicentro na Pampilhosa da Serra”. “Esperamos que isto sirva para trazer mais pessoas para cá, também iremos ter o chamado turismo científico, com cientistas e investigadores que irão regularmente utilizar estas infraestruturas", concluiu Domingos Barbosa.

Partilhar: