PAMPILHOSA DE SERRA: Céu une território das Aldeias de Xisto

Região aposta no turismo noturno.

PAMPILHOSA DE SERRA: Céu une território das Aldeias de Xisto

Foi assinado na passada semana, na Aldeia de Xisto de Fajão, no concelho de Pampilhosa da Serra, o protocolo Dark Sky Aldeias do Xisto. A assinatura aconteceu com os 20 municípios da Rede das Aldeias de Xisto e é mais uma etapa na afirmação de um destino turístico que agrega toda uma região em torno de um céu com caraterísticas diferenciadoras, num território onde existem as melhores condições para a observação do céu noturno, com parâmetros de visibilidade, transparência, escuridão e noites limpas, excelentes para o usufruto deste ativo e dos fenómenos astronómicos.
Esta ação implica um compromisso no combate à poluição luminosa e na defesa do céu escuro, na formação das diversas entidades envolvidas e na criação das condições adequadas ao usufruto deste destino turístico.
Apolónia Rodrigues, responsável pelo projeto Dark Sky criado no Alqueva vai agora trabalhar este conceito nas Aldeias de Xisto envolvendo igualmente a comunidade. Como referiu, “é possível fazer piquenique noturno com observação das estrelas, percursos pedestres noturnos para conhecer a fauna, a flora e o céu”, exemplificou, acrescentando também que “é possível pegar na identidade territorial e criar produtos específicos que não podem ser desenvolvidos noutros locais, como o Alqueva”, disse.
Nestes territórios, onde a poluição luminosa não tem lugar, existem coda vez mais adeptos, fazendo assim crescer outro tipo de turismo. Para Apolónia Rodrigues há muita gente a querer deitar-se no chão, olhar o céu e observar a via láctea a olho nu. Esta alternativa acarreta turistas que “valorizam o ambiente e o que a terra tem para dar”, sintetizou.
Este é um tesouro que tem que ser aproveitado, entende o presidente da câmara de Pampilhosa da Serra, José Brito, sentindo que se está a criar um produto que atrai pessoas e isso “é mais uma arma que temos para defender as nossas gentes, postos de trabalho e o turismo”, daí ser uma “satisfação ver que estamos a fazer um bom caminho neste setor. Ter 20 municípios aqui, valoriza ainda mais este projeto”.
Neste momento o projeto está a estruturar-se para poder avançar para uma oferta abrangente com alternativas para todos os amantes da observação das estrelas.

Partilhar: