PROENÇA-A-NOVA: Atleta francesa venceu ultramaratona portuguesa

Claire Bannwarth percorreu 281 quilómetros em 38h52m.

PROENÇA-A-NOVA: Atleta francesa venceu ultramaratona portuguesa

A PT281+ realizou-se entre o Castelo de Belmonte e a Praia Fluvial de Aldeia Ruiva, no concelho de Proença-a-Nova e foi ganha pela francesa Claire Bannwarth que precisou de 38h52 para percorrer os 281 quilómetros do referido percurso.
Esta ultramaratona contou com a presença de 72 atletas que aceitaram o desafio de percorrer esta distância em menos de 66 horas. Com a vitória, Claire Bannwarth faz história e torna-se na primeira mulher a vencer a geral na PT281+ e uma ultramaratona em Portugal. Em masculinos, a vitória foi repartida entre Bruno Maia e Bruno Bondoso. Por equipas, o Penta Clube da Covilhã/Sport Hotel Trail Running Team foi a primeira quadra a atravessar a meta enquanto que a primeira dupla pertence ao Grupo Desportivo da Mata, dá conta a câmara de Proença em nota enviada à comunicação social.
Durante a entrega de prémios, o presidente da autarquia proencense, João Lobo, destacou a superação que uma prova desta natureza exige manifestando “orgulho” na realização desta ultramaratona na Beira Baixa, uma prova que “ainda faz mais sentido num tempo em que a superação faz parte do nosso quotidiano devido a esta pandemia que nos continua a tocar a todos”, disse. João Lobo deu os parabéns a Claire Bannwarth pela conquista do primeiro lugar na geral e a todos os atletas que se colocaram à prova. “Proença-a-Nova está de braços abertos para vos receber sem sacrifícios, convidando-vos a que usufruam de tudo aquilo que este território tem para vos oferecer”.
Depois de percorridos os 281 quilómetros, a meta estava instalada na Praia Fluvial da Aldeia Ruiva, um dos pontos de visita obrigatórios no concelho durante a época estival, havendo atletas que à chegada aproveitaram para dar um mergulho. Com organização da Horizontes, mais do que testar os limites físicos, a PT281+ pede maturidade mental para gerir a distância, os momentos de solidão e as temperaturas que, em alguns momentos, podem ser superiores a 40 graus, lê-se ainda na mesma nota.

Partilhar: