PROENÇA-A-NOVA: Concelho acolhe projeto de apoio psicológico

Para crianças vítimas de violência doméstica.

PROENÇA-A-NOVA: Concelho acolhe projeto de apoio psicológico

Depois de ver aprovada a candidatura “RAP – Respostas de Apoio Psicológico” para crianças e jovens vítimas de violência doméstica da Beira Baixa, a Amato Lusitano – Associação de Desenvolvimento, organização sem fins lucrativos, reuniu com os parceiros do concelho de Proença-a-Nova, onde deu a conhecer a equipa técnica do projeto, assim como as estratégias de atuação.
Assim, e como refere a autarquia de Proença em nota enviada à comunicação social, a Associação estará na Casa das Associações uma vez por mês, na segunda quinta-feira do mês, entre as 10:00 e as 12:30, para atendimento psicológico e psicoterapêutico a crianças e jovens expostas à violência interparental. Ainda assim, as deslocações ao concelho poderão fazer-se sempre que ocorra uma sinalização.
A ideia, segundo avança a edilidade, “é fazer com que o Município, em estreita colaboração com a Associação Amato Lusitano, bem como todas as entidades com intervenção junto de crianças e jovens (entre os 3 e os 18 anos de idade) se dinamizem no combate, sinalização e encaminhamento destes casos para a RAP, contribuindo para a promoção da segurança, capacitação e autonomia destas crianças e jovens”.
Além do Município de Proença-a-Nova, o projeto abrange os concelhos de Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Oleiros, Penamacor e Vila Velha de Ródão. O programa foi promovido pela Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género, cofinanciado pelo Programa Operacional Inclusão Social e Emprego, pelo Portugal 2020 e ainda pela União Europeia.

Partilhar: