PROENÇA-A-NOVA: DECIR 2021 é o "maior até hoje concebido"

Dispositivo de combate a incêndios reforçado em várias áreas. Foi apresentado ontem, 13 de maio.

PROENÇA-A-NOVA: DECIR 2021 é o "maior até hoje concebido"

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil (ANEPC) apresentou, esta quinta-feira dia 13 de maio, no Aeródromo Municipal das Moitas, em Proença-a-Nova, o Dispositivo Especial de Combate a Incêndios Rurais (DECIR). Para fazer face à época de incêndios deste ano foi montado o “maior dispositivo até hoje concebido”, deu conta André Fernandes, Comandante Nacional de Emergência e Proteção Civil. Para o comprovar conta-se um “reforço com mais 200 operacionais na fase mais crítica de 1 de julho a 30 de setembro”, bem como a melhoria das “ferramentas de apoio à decisão operacional” e que estão a ser desenvolvidas desde 2018, deu conta o comandante. Estas garantem, ao nível do apoio à decisão operacional, "a capacidade de coordenação, comando e controlo das missões atribuídas aos diferentes agentes envolvidos na missão de combate aos incêndios rurais”, explicou. No que respeita a meios aéreos, haverá mais 60 no espaço compreendido entre 1 de julho a 30 de setembro.
O atual dispositivo “está adequado à realidade normal dos incêndios rurais no nosso país”, no entanto, em possíveis momentos de “picos, este dispositivo poderá ainda ser reforçado”, garantiu a secretária de Estado da Proteção Civil, Patrícia Gaspar, explicando que “é esta a flexibilidade e agilidade que o dispositivo tem que ter”. Quanto à prevenção, atualmente a balança de investimento entre esta matéria e o combate está em equilíbrio, disse ainda a secretária de Estado.

Esta apresentação aconteceu, paredes meias, com o Aeródromo das Moitas, infraestrutura que está a celebrar 41 anos e para a qual o anfitrião João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, chamou a atenção no sentido de conseguir ter financiamento, no próximo quadro comunitário, para aumentar a sua capacidade de albergue da Força Especial de Bombeiros (FEB) e da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR, entidades que já ali estão instaladas. O autarca anseia, entre outros aspetos, “ampliar a operacionalização das aeronaves”, aumentando a Pista para os 1200 metros de comprimento.
Esta sessão contou ainda com um momento simbólico onde foram condecorados, a título póstumo e com a medalha de Mérito de Proteção Civil - Grau Ouro e distintivo Azul, aqueles que, no ano passado tombaram no cumprimento do seu dever, de onde se destaca o bombeiro Diogo Alves Dias da corporação de Proença-a-Nova.

Dispositivo para 2021:
O dispositivo terrestre contará assim com 12.058 elementos, 2.795 equipas e 2.656 viaturas durante o período de maior empenhamento (Nível IV - 1 de julho a 30 setembro).
No Nível IV de empenhamento, a componente de Combate e Ataque Inicial compreende efetivos dos Corpos de Bombeiros (5.777), da Força Especial de Proteção Civil da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil – ANEPC (240), da Unidade de Emergência de Proteção e Socorro da GNR (1.144) e das Brigadas de Sapadores Florestais do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas – ICNF (232), num total de 7.393 elementos.

No que se refere à componente de Vigilância e Ataque Inicial, integra o Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente da GNR (1.952), a Polícia de Segurança Pública (338), os Sapadores Florestais (1.807), o Corpo Nacional de Agentes Florestais (203), os Vigilantes da Natureza (89) e as Equipas de Gestão de Fogos Rurais (36) do ICNF, a AFOCELCA (240), num total de 4.665 elementos.
Um total de 190 elementos das Forças Armadas prestará também apoio nessas duas componentes, enquanto agentes de proteção civil.
Os Técnicos do ICNF, da ANEPC, dos Gabinetes Técnicos Florestais, os Especialistas e a Bolsa de Peritos da Agência para a Gestão Integrada de Fogos Rurais, as Equipas de Análise e Uso do Fogo e o Núcleo de Apoio à Decisão Operacional da Força Especial de Proteção Civil, asseguram o apoio especializado ao processo de decisão, na pré-supressão e na supressão de incêndios rurais.

Partilhar: