PROENÇA-A-NOVA: Maestro Carlos Gama homenageado

Pelo Município e pelo Grupo Coral de Proença-a-Nova.

PROENÇA-A-NOVA: Maestro Carlos Gama homenageado

O Município e o Grupo Coral de Proença-a-Nova juntaram-se para homenagear o Maestro Carlos Gama pelos 37 anos de ligação como diretor artístico àquele que é considerado o maior embaixador cultural do concelho, numa cerimónia pública realizada no dia 23 de outubro no auditório municipal.
Deste modo, o Município de Proença-a-Nova reconheceu publicamente o Maestro Carlos Gama pelo “papel de relevante importância na qualidade que já realizam os 37 anos de ligação ao Grupo Coral de Proença-a-Nova”, lê-se no diploma que acompanhou o brasão do concelho, entregues pelo presidente da câmara, João Lobo, e pelo vice-presidente, João Manso. Na sua intervenção, o presidente da autarquia destacou “a condição enérgica de olhar sempre para a frente” do maestro: “Para mostrar a vitalidade que o maestro tem, ele que já fez 50 anos de carreira, ainda há tempos veio bater-nos à porta com partituras de composições e harmonizações dele para não se perder muito da música popular da Beira Baixa, num conceito mais transversal à nossa região”, recordou o autarca.
A poucas semanas de eleger uma nova direção, João Lobo referiu estar confiante que haverá responsáveis para dar continuidade ao projeto do Grupo Coral. “Não há sociedade desenvolvida no mundo que não tenha esse pilar fundamental que é a cultura, associada àquilo que é a aculturação de cada um de nós enquanto cidadãos”. O ainda presidente da direção, Francisco Grácio, destacou os 44 anos de uma “história riquíssima em acontecimentos e boas recordações e, sobretudo, de levar a nossa cultura, através do canto e da música coral, a inúmeras localidades do concelho, da região, do país e a tantos países do mundo”.
Vários desses marcos foram recordados durante a apresentação do livro “40 anos a (en)cantar” em que contribuíram com as suas histórias Daniel Catarino, Francisco Grácio e Cândida Santos, com moderação de Isabel Gaspar, quatro dos mais de 200 coralistas que passaram pelo grupo desde a sua fundação, em 1977. António Gil Dias partilhou ainda uma ode festiva em que faz a viagem pelo percurso de vida do Maestro, terminando com o verso “Se a alma pelos gestos é que fala | sempre com muita música à mistura | Sigam desenhando os seus ágeis braços | Arsis e tesis, ritmando a escala | Agora cada vez com mais ternura | Longa vida, lisos gestos, largos traços Maestro”.
Na referida cerimónia, o grupo Coral interpretou seis músicas, entre as quais o hino de Proença-a-Nova (com letra de Acúrcio Castanheira e música de Carlos Gama) e uma com letra e música da autoria de João Gama, filho do maestro, e harmonização de Carlos Gama. No início da cerimónia, Ana Sofia Ventura (voz) e Rita Pires (piano) – ambas ligadas ao Grupo Coral – interpretaram músicas típicas da Beira Baixa.

Partilhar: