PROENÇA-A-NOVA: Município distribui armadilhas para a vespa asiática

Nesta fase considerada crucial no ciclo de vida da vespa asiática, o Município de Proença-a-Nova coloca à disposição dos apicultores do concelho armadilhas para capturar esta espécie.

 PROENÇA-A-NOVA: Município distribui armadilhas para a vespa asiática

Assim, os apicultores podem levantar essas armadilhas, durante os dias úteis, na Casa das Associações (antigo edifício da Câmara Municipal, no Largo Pedro da Fonseca, entre as 10:00 e as 12:30 e entre as 14:00 e as 18:30. Esta ação acontece, segundo avança a edilidade em nota enviada à comunicação social, no âmbito do apoio prestado pelo Município e com o objetivo de mitigar o desenvolvimento de novos ninhos. O levantamento deverá ser feito mediante marcação prévia pelo telefone 274 673 175. Nesse sentido, serão entregues duas armadilhas por apiário até um total de dez por apicultor (mediante apresentação do registo apícola). Para o presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, João Lobo, “este é um pequeno mas importante contributo para minimizar os efeitos que têm sido causados por esta espécie de vespa ao universo do ecossistema das abelhas”. O autarca destaca o facto de as armadilhas terem sido construídas pelos colaboradores do Município, da área do ambiente e espaços verdes, seguindo “um modelo que pode ser facilmente replicado por cada um”.
Os apicultores que não tenham ainda o seu registo apícola, poderão solicitá-lo no Gabinete de Apoio ao Empresário e Agricultor do Município, a funcionar no Conjunto de Edifícios. A cada apicultor será entregue igualmente uma possível receita e informações sobre o ciclo de vida da vespa velutina.
De acordo com os especialistas, a colocação das armadilhas é fundamental para capturar as velutinas fundadoras na primeira fase do seu ciclo de vida a partir de fevereiro, quando surgem as primeiras fontes de néctar (também outubro e novembro, no início da hibernação, é uma boa altura para a colocação criteriosa de armadilhas). Capturar a fundadora irá impedir a formação de novos ninhos e a posterior destruição de colmeias no período de predação da vespa que decorre entre julho e outubro. Recorde-se que em 2020 o Município foi responsável pela destruição de 48 ninhos de vespa asiática.

Partilhar: