PROENÇA-A-NOVA: Muro da Escola Pedro da Fonseca ganha outra vida

Festival de Arte Urbana está a decorrer.

 PROENÇA-A-NOVA: Muro da Escola Pedro da Fonseca ganha outra vida

Proença-a-Nova está a acolher o Festival de Arte Urbana, na Rua Ezequiel Lopes Ribeiro, até ao próximo sábado, 23 de outubro. A iniciativa é promovida pela Associação “Sapiência e Paciência”, num projeto aprovado no âmbito do orçamento participativo 2020. O festival trouxe até ao concelho quatro artistas dos grupos ‘Pandemónio Studio’, Kruella D’ Enfer e Jaqueline Arashida - e ‘Los Pepes’ - Meggie Prata e Francisco Leal - que pretende colorir o muro exterior da Escola Básica e Secundária Pedro da Fonseca.
Segundo informa a autarquia proencense, entre planeamento e execução do projeto, estão envolvidas oito pessoas, incluindo Isabela Ferro, que se encarregou de efetuar a ligação entre a Associação e os artistas convidados. Além das pinturas no muro exterior da Escola, também estão colados alguns cartazes, da autoria da promotora do festival. Isabela refere que contou com a ajuda de “Carolina Aguiar, uma artista brasileira, de Pedro Bento, um artista português que se mudou recentemente para Proença-a-Nova, e Sara Fernandes, que vai incluir figuras de metal no gradeamento da escola”. Quanto à forma como decorreu o processo de planeamento, Isabela refere que só depois de ter aprovado o projeto avançou para a chamada de artistas: “são artistas que já têm alguma experiência, por exemplo, os Los Pepes que têm já vários trabalhos deste género, a Jaqueline é apenas a segunda pintura em muro”.
Quanto ao sítio escolhido, Isabela confessa: “moro aqui em Proença-a-Nova desde 2017 e sentia, de cada vez que passava por esta rua, que a devia colorir e dar-lhe vida, espero que para o ano já não seja necessário orçamento participativo”, referiu entre risos. O feedback recebido tem sido, segundo a própria, “muito positivo, as pessoas param para ver, elogiam e fazem muitas perguntas”, frisou.
Os artistas confessaram desconhecer Proença-a-Nova, o que parece não ter complicado o trabalho destes. Para eles, o objetivo era trazer vida ao muro da Escola, com várias cores e que fosse de fácil interpretação para crianças e jovens, que os levasse a comentar e gostarem de passar ali, construindo uma obra focada essencialmente para este público. Os quatro artistas continuam no concelho até ao próximo sábado e estão disponíveis para receber interessados e responder a possíveis dúvidas de quem os quiser visitar.

Partilhar: