PROENÇA-A-NOVA: Novos Paradigmas do Envelhecimento em debate

Este mês. Durante três dias.

PROENÇA-A-NOVA: Novos Paradigmas do Envelhecimento em debate

O concelho de Proença-a-Nova vai receber, de 25 a 27 de novembro, o Congresso Internacional - Animação Sociocultural, Geriatria, Gerontologia e os Novos Paradigmas do Envelhecimento, onde vão marcar presença alguns dos melhores conferencistas sobre esta matéria.
Este congresso foi apresentado ontem, 17 de novembro, em Proença, tendo marcado presença um dos organizadores, ou seja, o professor Ernesto Candeias. No seu entender a pandemia e o sentimento de segurança que se vive nos territórios do interior abrem portas para um novo paradigma ligado ao envelhecimento. Com a pandemia muita gente refugiou-se no interior “e possivelmente quando se aposentarem, estes sítios são bons para os acolher, seja na habitação e respetivos apoios ou ao nível de instituições que o possam fazer”, contextualizou. Disse ainda que o tempo é de preparar o futuro pois “quando envelhecermos queremos outras condições do que as que os idosos têm atualmente”.
Atendendo a esta visão, João Lobo, presidente da Câmara Municipal de Proença-a-Nova, considerou que “o envelhecimento dever ser encarado como promoção, valorização e riqueza” e por isso os “idosos nunca serão um problema”, mesmo porque dois terços do território português tem problemas ligados ao envelhecimento, explicou, logo “não podemos enfiar a cabeça na areia”. O autarca defendeu que cuidar desta faixa etária “tem um custo associado do ponto de vista de investimento da saúde e necessidade de acompanhamento, mas tem outro que tem a ver com a condição de atratividade de outras populações”, vincou.
Em pouco tempo o interior pode ser visto como um paraíso, onde a segurança e o bem-estar andam de mãos dadas. Este será um dos pontos em debate no congresso que pretende abrir porta a pessoas do estrangeiro, de locais onde não se sentem tão seguros. “A saúde e a segurança podem ser encarados como fatores de atração para estes territórios. Quando falamos de população estrangeira, falamos de segmentos da sociedade com capacidade financeira e criam valor nos territórios para onde se dirigem”, anteviu o autarca.
Durante os três dias do congresso passarão por Proença-a-Nova mais de 30 conferencistas vindos de universidades europeias e outras instituições do ensino superior. Ali irão dissecar e debater temáticas relacionadas com as problemáticas do envelhecimento e apresentar metodologias de intervenção que se liguem à necessidade de uma envolvência plural, transversal e interdisciplinar.
Este congresso será composto com várias oficinas ou workshops e mesas redondas, que se querem o mais práticas possíveis para conferir a este congresso um lado prático e dinâmico, referiu ainda Ernesto Candeias. Este congresso é uma organização da Associação Intervenção, contando com as parcerias do Projeto CLDS-4G “Enraizar” e do Município de Proença-a-Nova.

Partilhar: