PROENÇA-A-NOVA: O valor da comunidade que dá vida a um concelho

Dia do Município dedicado ao tema “Comunidades Vivas”.

PROENÇA-A-NOVA: O valor da comunidade que dá vida a um concelho

A cerimónia oficial do Dia do Município de Proença-a-Nova que ontem se assinalou e que foi subordinado ao tema “Comunidades Vivas”, decorreu na Serra das Talhadas, local onde foi inaugurada a torre de vigia desenhada pelo arquiteto Siza Vieira.
Os vestígios humanos em Proença remontam há mais de 5 mil anos, uma marca deixada e que é preciso continuar a deixar. João Lobo, presidente da câmara, aproveitou a ocasião para passar em revista alguns dos temas que são caros ao seu executivo, como por exemplo o combate ao insucesso escolar. O autarca falou assim do projeto Bioaromas - Laboratório de Integração e Inovação Social no Centro de Ciência Viva da Floresta, “verdadeiro laboratório de gerar comunidade”, como definiu, anunciando que nos próximos meses “o CCVF terá um novo espaço para fazer crescer este projeto e criar condições ao seu desenvolvimento, adequadas aos adultos que recebe”. João Lobo falou ainda do Centro Qualifica, dizendo que a “formação que se promove através da educação é essencial para gerar comunidades mais ativas, também através da aquisição de novas competências” e lembrou o projeto da Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa que visa a formação, tendo em conta as necessidades do tecido empresarial. Mas se há apoios no imediato, há aqueles que procuram, a médio prazo fixar populações para ter comunidades ainda mais vivas e duradoiras, por isso o edil proencense levantou o véu das novas apostas municipais, como por exemplo um novo polo empresarial nas antigas instalações da serração Daniel Lourenço, já em execução e o avanço da segunda fase de expansão do Parque Empresarial de Proença-a-Nova. Serão mais “35 lotes e pavilhões com uma nova dinâmica para juntar formação teórica das instituições de ensino superior com as nossas empresas”, avançou João Lobo, não esquecendo alguns investimentos que estão a ser feitos, nomeadamente a ligação de todas as aldeias à internet móvel ou de fibra, ou mesmo investimentos num turismo diferenciador como é exemplo a torre de vigia da Serra das Talhadas, que tem em seu redor outros atrativos como seja uma pista de parapente ou uma pista de BTT, para além de um trilho pedestre.

João Paulo Catarino, presidente da Assembleia Municipal e secretário de Estado da Conservação da Natureza, das Florestas e do Ordenamento do Território, aproveitou a oportunidade para dizer que o seu concelho tem estado na linha da frente no que respeita ao aproveitamento dos fundos disponibilizados pelo Governo para mudar a paisagem e, num futuro próximo poder estar melhor preparado para os desafios que se avizinham com as alterações climáticas. Falou na disponibilização de dinheiros para territórios de floresta. No entanto, a par do investimento financeiro “é preciso o envolvimento das comunidades vivas e locais, das autarquias e proprietários”, alertou para dizer que Proença “está preparada para receber estes apoios”.
Em representação da bancada do Partido Socialista, João Batista mostrou-se ciente que “o interior tem vida e recomenda-se”. No seu entender, “Proença preza pela cultura e pelas suas gentes. Não se conforma com o abandono e procura o desenvolvimento. Acolhe quem chega e ajuda quem fica”, sustentou.
Por seu lado, o PSD através, do seu deputado municipal Francisco Grácio, às comunidades ativas acrescentou a designação de “proactivas que cooperam entre si e que envolvem as populações residentes e não residentes em que os habitantes dão o melhor de si em ações comunitárias e de forma desinteressada, unida e em prol da sua terra.
Em todos os discursos esteve ainda patente a pandemia e os seus desafios, sublinhou a necessidade de olhar pelos outros cuidando de cada um de nós, por isso, na hora das homenagens, receberam a medalha de mérito do concelho, o Centro de Saúde de Proença-a-Nova (pelo seu trabalho incansável nestes meses de pandemia), os empresários José Lourenço e Américo Rolo - a titulo póstumo (que ao longo dos anos têm lutado por criar riqueza e emprego para o concelho e para o país), e João Sequeira, ex-funcionário da autarquia (alguém que todos se habituaram a respeitar ao longo dos anos em que esteve ao serviço do município).

Partilhar: