PROENÇA-A-NOVA: Serviços da câmara municipal recebem certificado de qualidade

Certificado foi entregue ontem.

PROENÇA-A-NOVA: Serviços da câmara municipal recebem certificado de qualidade

O Balcão Único, a Distribuição de Águas, a Higiene Pública (limpeza de espaços públicos, desinfestação e recolha de resíduos), as Obras Particulares, os Recursos Humanos, as Tecnologias e Sistemas de Informação, o Aprovisionamento e as Infraestruturas são os serviços da Câmara Municipal de Proença-a-Nova que têm agora certificação de qualidade comprovada pela AENOR Portugal, parte integrante da Associação Espanhola de Normalização e Certificação (AENOR), dá conta o Município de Proença-a-Nova.
O certificado de qualidade foi entregue esta segunda-feira, dia 13 de setembro de 2021, perante responsáveis e respetivos colaboradores dos processos e executivo municipal. Para João Lobo, presidente da autarquia, “esta certificação traduzir-se-á em automatismos que levam a instituição a ser mais rápida, célere e eficiente na resposta que dá à comunidade”.
Além da importância para os munícipes, o presidente reforça ainda que este é um processo que obriga a autarquia a promover a qualidade de forma contínua. “Atingindo este ponto não podemos considerar que está tudo feito, estes processos têm de estar rotinados no sentido de, num futuro próximo, todo o universo da Câmara Municipal vir a estar certificado”.
Este certificado é “apenas o início de uma nova etapa. Há que manter estes procedimentos vivos porque a AENOR volta a visitar-vos todos os anos para conferir que tudo continua a correr como previsto”, disse a representante da AENOR, Lina Sá Pinto, acrescentando que “compara ainda a obtenção do certificado à aquisição de uma nova casa: “se não a limpamos e não fazemos obras de manutenção a casa pode ruir.”
Apesar da finalização em 2021, o projeto está a ser pensado já há alguns anos e foi oficialmente iniciado há cerca de um, integrando um processo de modernização administrativa constituído por mais duas componentes além desta, nomeadamente: a desmaterialização, a reengenharia de processos e atendimento multicanal, a harmonização regulamentar e as taxas e preços com impacto na desmaterialização/ reengenharia efetuada. Também estas componentes estão em fase de conclusão.
O objetivo principal era perceber quais as necessidades e expectativas dos munícipes e a respetiva satisfação. Lina Sá Pinto frisa ainda que é sempre mais complicado trabalhar em municípios, quando comparado com organismos privados, o que, segundo a própria, só atribui mais valor a esta conquista.
A par do Município de Proença-a-Nova, e ao nível das autarquias do distrito de Castelo Branco, apenas Idanha-a-Nova e os serviços municipalizados de Castelo Branco possuem esta certificação ativa, lê-se ainda na nota enviada à comunicação social.

Partilhar: