PROENÇA-A-NOVA: Vindimas aumentam afluência ao CCV da Floresta

Clientes vêm de vários concelhos.

PROENÇA-A-NOVA: Vindimas aumentam afluência ao CCV da Floresta

O Centro Ciência Viva da Floresta tem verificado uma maior procura do serviço do laboratório de análise de vinho. Quem o refere é a Câmara Municipal de Proença-a-Nova numa nota enviada à comunicação social. Catarina Antunes, responsável pelo laboratório, antecipa “muito trabalho até final de março”. No laboratório é feito o acompanhamento desde o controlo de maturação das uvas, controlo de mostos frescos e consequentes análises para garantir uma melhor conservação do vinho.
Existem agora mais utilizadores do que à data do ano anterior e o ritmo promete continuar acelerado nos próximos meses, acrescenta a edilidade notando que “o laboratório tem clientes que vêm de Mação, Sertã, Castelo Branco, Idanha-a-Nova e até Abrantes”. Catarina Antunes garante que “tentamos dar resposta de forma rápida (no próprio dia) pois no vinho existem seres vivos que “nunca dormem”. Não nos limitamos a dar indicações para as pessoas fazerem só por fazer, mas tentamos explicar-lhes o porquê desse procedimento, a ciência que está por detrás”. Apesar de consciente do significado de receber novos clientes, Catarina Antunes aponta que “é importante verificarmos que aqueles que já nos procuravam antes, continuem a solicitar a nossa ajuda, ano após ano, porque isso significa que gostam do trabalho que realizamos”, explica.
Com o laboratório em funcionamento desde 2012, Catarina Antunes, não esconde o espanto em relação à procura por parte da população e sente “que as pessoas estão muito mais recetivas. No início do projeto disse ao enólogo que dá apoio técnico ao laboratório, que achava que a população não fosse aceitar ajuda, por haver hábitos vincados de elaboração do vinho, mas pelo contrário, mesmo as pessoas mais idosas começaram a procurar o nosso apoio nesta área”, frisa.

Partilhar: