REGIÃO: Campeonato de Ciclismo de Estrada corre-se em junho

Em Castelo Branco e Vila Velha de Ródão.

REGIÃO: Campeonato de Ciclismo de Estrada corre-se em junho

Este ano o programa dos Campeonatos Nacionais de Ciclismo de Estrada vai acontecer nos concelhos de Vila Velha de Ródão e de Castelo Branco, dias 18, 19 e 20 de junho, com Vila Velha de Ródão a receber os contrarrelógios individuais, um dia antes.
Assim, o programa arranca em Vila Velha de Ródão com quatro ‘cronos’: começa pelo de paraciclismo, pelas 10:30, e encerra com o da elite masculina, pelas 13:00, antes de a caravana, que ao todo contará com cerca de 300 participantes.
A prova é considerada importante para estes territórios e Delmino Pereira, presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo acredita que será possível ter aqui os grandes nomes do nosso ciclismo.
Luís Pereira, presidente da autarquia de Ródão não teve dúvidas em aceitar que este desafio percorresse as estradas deste concelho. A prova é importante para “atrair pessoas”, disse. Falando do ciclismo, recordou que é uma modalidade que “desperta paixões e que tem tradição no país, por isso a autarquia apostou nesta prova”, justificou.

A cidade de Castelo Branco tem já grande tradição de ciclismo com a Volta a Portugal em Bicicleta a, nos últimos anos, ter o arranque ou a chegada de uma etapa na cidade. Daí não se poder dizer que não a uma iniciativa deste género, destacou Jorge Pio, vice-presidente da câmara albicastrense. “Nos tempos que vivemos, estas provas são importantes para ajudar a retomar a normalidade possível, fazer ver e acreditar junto da população que há possibilidade de desenvolver atividades desportivas em segurança”, explicou, sublinhando ainda a importância destas provas para minimizar os efeitos que esta pandemia trouxe às camadas jovens.
Esta prova é um marco para a Associação de Ciclismo da Beira Interior e por isso Agnelo Quelhas, presidente da coletividade não teve dúvidas em “abraçar o desafio”, explicou.
Assim, e de acordo com a programação, Vila Velha de Ródão recebe, no dia 18 de junho os contrarelógio de Paraciclismo, elite feminino, sub-23 masculinos e elite masculina. Os percursos do contrarrelógio, adianta a Federação Portuguesa de Ciclismo em comunicado, são “essencialmente planos, com alguns topos que poderão ajudar a marcar diferenças”, com o traçado da elite masculina e sub-23 a contar com 30,5 quilómetros de distância.
Nos dois dias seguintes em Castelo Branco decorre a prova de fundo do pelotão feminino, entre elite, sub-23, juniores, cadetes e veteranos, de manhã, com a partida da corrida dos masculinos sub-23, marcada para as 14:30.
No fundo, com partida e chegada da Avenida do Empresário, as femininas de elite e sub-23 fazem 108,25 quilómetros, com um desnível acumulado de 1.425 metros, enquanto os sub-23 masculinos cumprem 170,55 quilómetros (2.420 metros de acumulado).
De referir que estes campeonatos nacionais vão decidir os sucessores de Rui Costa (fundo de elite masculina), Ivo Oliveira (contrarrelógio de elite masculino), Melissa Maia (fundo de elite feminina) e Raquel Queirós (contrarrelógio de elite feminino).

Partilhar: