RELIGIÃO/Diocese: Dom Augusto César assinala 50 anos de Ordenação Episcopal

Diocese está a organizar festa para dia 21 de maio.

RELIGIÃO/Diocese: Dom Augusto César assinala 50 anos de Ordenação Episcopal

Dom Augusto César, Bispo emérito da Diocese de Portalegre-Castelo Branco, vai celebrar 50 anos de Ordenação Episcopal. Deste modo, dia 21 de maio terá lugar uma Eucaristia, às 11:00, na Concatedral de Castelo Branco, presidida por Dom Augusto César, uma vez que a Catedral de Portalegre está em obras.
A diocese explica também que, por razões de espaço, muitas pessoas não poderão marcar presença e que Dom Augusto César presidirá à Peregrinação Diocesana a Fátima, no dia 29 de maio, último domingo de maio. De tarde, continuará com os diocesanos de Portalegre-Castelo Branco no Auditório Paulo VI em Fátima, “onde haverá um programa a cumprir com espaço suficiente para quem, da Diocese, quiser participar”, explica a Diocese numa nota enviada à comunicação social.
Relembre-se que Dom Augusto César nasceu em Paredes, freguesia de Fervença, concelho de Celorico de Basto, Arquidiocese de Braga, no dia 15 de março de 1932. Filho mais novo de Maximino da Silva e de Arminda Alves Ferreira, e irmão de João Baptista da Silva e de Domingos da Silva, recebeu os Sacramentos do Batismo em 2 de abril de 1932 e o do Crisma em 4 de maio de 1945, na Igreja Paroquial de Fervença.
Ficou órfão de mãe antes de completar 3 anos de idade, e de pai, aos 12 anos. Foi criado e educado pela sua avó materna, Justina da Cunha Barbosa.
Mostrou-se desde muito cedo atraído pelo sacerdócio e foi recebido em 1946 pelos Padres Vicentinos, no seminário de S. José, em Lagares, Felgueiras. Fez o noviciado em Santander (Espanha). Regressou a Felgueiras, tendo completado os estudos filosóficos e teológicos no Seminário Maior de Santa Teresinha, em Pombeiro, da mesma Congregação. Ordenado sacerdote a 24 de julho de 1960, partiu para Moçambique, onde esteve ligado à formação nos seminários.
Em julho de 1970 foi chamado a desempenhar o cargo de Provincial da sua Congregação e em 24 de fevereiro de 1972 foi eleito para sucessor de D. Félix Nisa Ribeiro, na Diocese de Tete, Moçambique, por coincidência natural desta Diocese de Portalegre-Castelo Branco, mais propriamente da freguesia de Proença-a-Velha, concelho de Idanha-a-Nova.
Foi ordenado Bispo a 21 de maio do mesmo ano, na Capela das Filhas da Caridade de S. Vicente de Paulo, em Lisboa, pelo então Cardeal-Patriarca, D. António Ribeiro. Entrou na Diocese de Tete em 9 de julho de 1972, vindo a resignar em 9 de julho de 1976.
No dia 28 de setembro de 1978, o Papa João Paulo I aceitou a resignação de D. Agostinho Lopes de Moura e elegeu para Bispo de Portalegre-Castelo Branco Dom Augusto César, que tomou posse no dia da Solenidade de Cristo-Rei, 26 de novembro de 1978.
Em quase 26 anos de serviço à Diocese dedicou-se afincadamente à Evangelização: visitou regularmente todas as comunidades, empenhou-se na Formação do Clero e dos leigos e, ainda na Estruturação da Diocese, com a criação de quatro zonas pastorais e sete zonas com dinâmica de Missão.
Foi eleito Membro do Conselho Permanente da CEP, nos mandatos de 1991, 1999 e 2001, foi Presidente da Comissão Episcopal das Missões, Presidente da Comissão Episcopal do Clero, Seminário e Vocações, durante vários mandatos e, em 1990, delegado da Conferência Episcopal ao sínodo dos bispos sobre a formação do clero. Em 2001, foi nomeado pela Santa Sé, Visitador Apostólico dos Seminários.
Finalmente, em 22 de abril de 2004, deixou a sua diocese de Portalegre-Castelo Branco e foi viver, na condição de Emérito, para a casa das Filhas da Caridade, de S. Vicente de Paulo, em Fátima.

Partilhar: