SERTÃ: Álvaro Cortez e Fernando Brites sobem ao palco da Casa da Cultura

Dia 13 de novembro.

SERTÃ: Álvaro Cortez e Fernando Brites sobem ao palco da Casa da Cultura

A Casa da Cultura da Sertã acolhe a 13 de novembro, às 21:00, o concerto do percussionista Álvaro Cortez a que se junta o acordeonista Fernando Brites.
Como explica a câmara da Sertã, em nota enviada à comunicação social, o concerto terá início com "Piazonore", de Alexej Gerassimez, e do reportório fazem também parte "Rhythmic Caprice" em marimba, que irá "elevar os poderes técnicos e artísticos do instrumento", e a Sonata n.º 1 de Alexander Nagayaev, "uma das obras mais importantes no reportório para acordeão solo" vincada "pela exuberância sonora e construção orquestral". O espectáculo finalizará com "From the bottom of the soul" de Krystian Skubala em dois movimentos. Promovido pelo Município da Sertã, o concerto tem entrada livre, por ordem de chegada e mediante lugares sentados disponíveis.
Álvaro Cortez venceu mais de 20 prémios nacionais e internacionais, como a Universal Marimba Competition, na Bélgica e Jeju International Music Competition na Coreia do Sul, e Prémios Jovens Músicos, entre outros. É um pioneiro no palco global da percussão, conciliando a "técnica meticulosa, a inteligência musical e um senso de leveza, as suas performances únicas são imbuídas de energia, paixão e poder que ressoam em todos os tipos de público". Nas palavras da conceituada pianista Maria João Pires, Álvaro Cortez é "irreverente, brilhante e ambicioso". Apresenta-se frequentemente em festivais pela Europa, Ásia e América do Sul. Atualmente é artista convidado na Opera Del Liceu de Barcelona e recentemente foi selecionado para gravar um CD na Orpheus Classical Music Label.
Fernando Brites licenciou-se em música na classe de acordeão de Paulo Jorge Ferreira, na Escola Superior de Artes Aplicadas do Instituto Politécnico de Castelo Branco, tendo participado em masterclasses de acordeão orientadas por Paulo Jorge Ferreira, Vladimir Blagojevic e Vincent Lhermet. Foi premiado com o 1.º prémio da categoria G e o 2.º prémio da categoria E, ambos na 7.ª edição do Concurso de Acordeão Folefest em 2014. Na edição seguinte do mesmo concurso, foi premiado com o Prémio de Melhor Intérprete, 1.º prémio na categoria E e 1.º prémio na categoria G. Em 2017, na 10.ª edição do Concurso de Acordeão Folefest venceu o Prémio de Melhor Interprete, 1.º prémio na categoria D e 1.º prémio na categoria F (música de câmara). Fez parte da estreia de obras como "Lumen" de Paulo Jorge Ferreira e "Anagnósis" de Daniel Scvetz, estreadas mundialmente na Casa da Música do Porto. Colabora regularmente com o Ensemble MPMP e em programas da Orquestra Sinfónica do Porto, onde trabalhou com os maestros Baldur Bronnimann e Peter Runbdel. Atualmente lecciona a disciplina de acordeão no Conservatório Regional de Castelo Branco e na Escola Profissional de Artes da Beira Interior.

Partilhar: