SERTÃ: Chega apresentou publicamente os candidatos aos órgãos autárquicos

Partido apresenta candidatos à câmara e assembleia municipal, bem como à junta da Sertã e UFCBNP.

SERTÃ: Chega apresentou publicamente os candidatos aos órgãos autárquicos

O Partido Chega concorre pela primeira vez às eleições autárquicas no concelho da Sertã, apresentando candidaturas à Câmara Municipal, à Assembleia Municipal, à Junta de Freguesia da Sertã e à União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais (UFCBNP). No passado sábado, a Alameda da Carvalha, na Sertã, foi o palco da apresentação dos candidatos aos diferentes órgãos autárquicos.
Marco Santos, cabeça de lista à câmara, começou por dizer que esta candidatura é composta por gente que não tem vícios, ao mesmo tempo que apontou o dedo ao atual executivo e, nos últimos tempos, à realização de obras, “como se não houvesse amanhã”, definiu, para acrescentar que “custa a crer que o atual executivo tenha estado a hibernar quase todo o mandato e agora acordou”.

O candidato deu o exemplos a colocação de “alcatrão nas principais vias de comunicação” e “obras que ficam a meio”. Falou da EN238, considerada pelo Chega como “um eixo estruturante para a nossa região”, mas que “é só remendos”, apontou. Já quanto ao IC8, “é uma estrada sem grandes condições, desfasada da realidade do nosso interior”. No que respeita às zonas industriais (ZI), “estão paradas. Na ZI de Cernache do Bonjardim há 12 anos que não nasce uma empresa e na Sertã a ZI tem crescido muito pouco”, ilustrou, considerando que “o nosso concelho não está preparado para empresas industriais a sério”.
Marco Santos defende que se deve olhar para a floresta com verdadeiros olhos de ver e procurar soluções para os seus problemas, começando pelo flagelo dos incêndios que a atingem todos os anos.
No turismo lamenta que, com três albufeiras, o concelho ainda não tenha feito nada para aproveitar esta riqueza natural.
No que respeita à saúde o candidato não percebe o porquê de, em pouco mais de 25 anos, o concelho ter deixado de ter um hospital para hoje ter uma extensão de saúde. “Vivemos numa das zonas mais envelhecidas da Europa e temos uma saúde precária. Faltam-nos equipamentos e recursos humanos”, disse, lembrando a avaria no RX da Sertã que não é resolvida e o problema constante de marcação de consultas na extensão de Cernache. “Isto é um total desgoverno”, sustentou.

Nesta apresentação marcou lugar o presidente da Distrital de Castelo Branco, Paulo Mendes. À Sertã veio lembrar que estas candidaturas estão no terreno para fazer política de forma diferente e séria e por isso a aposta é na competência de cada um dos candidatos. Dirigindo-se a estes, deixou claro que “o futuro do Chega e dos nossos jovens começa aqui, com as vossas candidaturas, posturas e com a forma como vão enfrentar os vossos desafios e desempenhar as vossas funções”. Sobre as ideias que se fazem deste partido, considerou que “vamos ter que as desfazer com competência. Apesar de não termos experiência, todos somos capazes de aprender”, disse.
Para a Assembleia Municipal da Sertã, o Chega apresenta como cabeça de lista, Cátia Pinto, para a Junta de Freguesia da Sertã, o cabeça de lista é Pedro de Jesus e para a União de Freguesias de Cernache do Bonjardim Nesperal e Palhais é Ricardo Sequeira.

Partilhar: