SERTÃ: Concelho já apresentou estudo sobre biorresíduos

Separação vai ser obrigatória.

SERTÃ: Concelho já apresentou estudo sobre biorresíduos

Fruto de uma diretiva comunitária de 2019, o país tem de ter definida uma política comum para os biorresíduos, sejam eles domésticos ou não.
Nesse sentido o Município da Sertã já tem em curso algumas ações, nomeadamente a recolha desses resíduos na freguesia da Sertã e na União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais.
No estudo preliminar agora apresentado e que ainda está em discussão pública, Bruno Cunha, da Fenix Ambiente - empresa responsável pela elaboração do estudo para o desenvolvimento do sistema de recolha de biorresíduos do Município da Sertã, referiu que o trabalho a implementar passa pela “valorização na origem da compostagem doméstica e depois comunitária”. Desde que haja condições esta solução será a menos onerosa e a que trará resultados mais imediatos, disse Bruno Cunha.
Quanto aos biorresíduos verdes, a proposta passa por reforçar a recolha seletiva por agendamento “algo que já é feito no concelho”, deu nota. O reforço da compostagem de resíduos verdes nos viveiros municipais é outra das propostas. O objetivo é ter um maior rigor na quantificação de entrada dessa matéria para compostagem.
Prevê-se que, na próxima década, sejam produzidos, por ano, 530 toneladas de biorresíduos. Para que se possam cumprir as normas comunitárias há investimentos que têm de ser feitos como a aquisição de  “compostores domésticos e respetivos kits de compostagem, ter compostores comunitários, viaturas de recolha e campanhas de sensibilização e monitorização”, acrescentou.
Assim, há que envolver cada vez mais os cidadãos em toda a cadeia e não apenas até ao momento de separação dos resíduos. “Terá que haver um acompanhamento constante e permanente da qualidade da separação e do material que é encaminhado para compostagem”, alertou o técnico.

Partilhar: