SERTÃ: Concurso de leitura em voz alta teve 71 participantes

Prémios foram entregues na passada semana.

SERTÃ: Concurso de leitura em voz alta teve 71 participantes

O primeiro Concurso Nacional de Leitura em voz alta, organizado pelo Município da Sertã contou com 71 participantes de todo o país e a entrega dos prémios aconteceu no âmbito da Maratona de Leitura deste ano. Daniel Levi, da Escola Secundária José Afonso, do Agrupamento de Escolas José Afonso, em Loures, que participou com a leitura do poema “Aos homens constipados'' de António Lobo Antunes, foi um dos premiados. Esta participação deveu-se ao convite da professora responsável pela biblioteca da escola e pelo gosto que “tenho em ler, principalmente em voz alta”, disse aos microfones da Rádio Condestável. A participação “não foi difícil. Apesar dos nervos, é uma questão de hábito”, confessou.
Na categoria "Leitura Coletiva", Beatriz Horta e Vitória Coelho, da Escola Secundária Damião de Goes, em Alenquer receberam o terceiro prémio. Leram um excerto do livro de Eça de Queirós “A Cidade e as Serras”. Apesar de já terem participado noutros concursos dentro da escola, este foi “diferente. Foi uma experiência incrível”, confessaram.
O concurso contou com o patrocínio da empresa sertaginense Palser, uma ação integrada na sua vertente de responsabilidade social. Para Mónica Fernandes, porta-voz da Palser, “todas as empresas se devem envolver em projetos desta categoria. Quando envolve crianças é sempre muito importante”, confirmou, garantindo a continuidade do apoio em próximas edições.

Este concurso vem no seguimento do objetivo cimeiro da Maratona de Leitura, ou seja, ler em voz alta. José Farinha Nunes, presidente da câmara considerou “importante criar estas qualidades” nas pessoas e ponderou mesmo aumentar o prémio. Para o autarca a participação de 71 trabalhos “significa que o país está vocacionado e incentivado para ler em voz alta”.
Mais do que ler, foi interessante perceber o que os jovens estão a ler, explicou Rodolfo Castro, escritor argentino radicado em Portugal e membro do júri. “Algumas leituras foram inesperadas”, confessou, sublinhando que “na escolha das histórias há também uma forma de pensar a vida e o mundo”. Sobre a experiência, confessou que foi muito “interessante e gratificante”.
Na categoria de “Leitura Individual”, o primeiro lugar foi para a Biblioteca Escolar de Paços de Brandão, do Agrupamento de Escolas de Paços de Brandão, que receberá um prémio de mil euros destinados exclusivamente à compra de livros para a respetiva biblioteca ou para ações que visem a promoção do livro e da leitura junto da comunidade escolar.
No segundo lugar do pódio individual posicionou-se a Biblioteca Escolar Dr. Hipólito de Carvalho, da Escola Básica e Secundária Dr. Serafim Leite (São João da Madeira), que receberá 250 euros em livros. Na terceira posição ficou a Biblioteca da Escola Secundária José Afonso, do Agrupamento de Escolas José Afonso, em Loures, que terá direito a uma coleção de livros.
Por seu lado, na categoria de “Leitura Coletiva” o júri decidiu não atribuir o 1.º e o 2.º prémios, pelo facto de nenhum dos trabalhos a concurso apresentar qualidade meritória. Assim foi apenas entregue o terceiro prémio (uma coleção de livros) à Biblioteca Escolar da Escola Secundária Damião de Goes, em Alenquer.
Todavia, o júri entendeu que o valor somado dos dois primeiros prémios coletivos (1 250 euros no total) fosse distribuído, equitativamente entre os trabalhos classificados do 4.º ao 12.º lugares da categoria “Leitura Individual”, “devido à elevada qualidade das propostas apresentadas”.
Assim, cada uma destas bibliotecas escolares receberá um conjunto de livros no valor de 139 euros.

Partilhar: