SERTÃ: Estrada Nacional 2 inspira PAP dos alunos da ETPS

Fim-de-semana é preenchido a apresentar projetos.

SERTÃ: Estrada Nacional 2 inspira PAP dos alunos da ETPS

A Escola Tecnológica e Profissional da Sertã (ETPS) está a realizar um conjunto de Provas de Aptidão Profissional (PAP) de alunos dos cursos de Técnico de Turismo Ambiental e Rural e de Mecatrónica Automóvel.
As apresentações começaram esta manhã na Casa da Cultura, sendo que há atividades espalhadas por vários locais do concelho da Sertã, inseridas no âmbito das PAP.
A aluna Tatiana Rodrigues olhou para as tradições, para os sabores e os saberes do interior e aliou “o mundo antigo com o mundo sustentável”, isto por causa das preocupações atuais para com o ambiente. Esta aluna deu destaque ao linho, à lã, à aguardente de medronho, ao mel, à tradição de lavar na ribeira ou no tanque. O objetivo é resgatar saberes sustentáveis que se estão a perder com a sua geração, sendo que “para mantermos o mundo sustentável temos que manter estas tradições”, explicou.
Já a aluna Margarida Ribeiro olhou para a Estrada Nacional 2 (EN2) para mostrar que esta é mais do que uma faixa de alcatrão e que em seu redor há muito para descobrir. “Cada vez esta estrada está mais valorizada”, reconheceu, mas “a natureza em volta da estrada necessita de ser valorizada”, adiantou.
Um mercado medieval na Sertã, neste caso no Castelo da Vila é a proposta da aluna Raquel Magalhães. O evento decorrerá amanhã, domingo. “Vamos ter vários artesãos e muita animação. Pretendemos trazer as tradições antigas. Será diferente”, disse, desejando que as pessoas adiram.
Estas provas ligadas têm este ano como fio condutor a Estrada Nacional 2 e o seu potencial turístico.
Também os alunos do curso de Mecatrónica Automóvel estão a mostrar aquilo que aprenderam ao longo destes três anos e o aluno Daniel Santos apresenta um triciclo motorizado. O aluno desenvolveu um “drift trike, costumizado em casa e feito com peças já utilizadas”, descreveu.
A partir desta invenção, este aluno quer continuar a inventar e a colocar em prática aquilo que aprendeu ao longo dos anos de formação.
Teresa Relvas diretora da ETPS relembrou que este é um momento em que se “passa para a comunidade aquilo que se faz na escola”. Para a diretora, “é muito importante para os alunos e para a comunidade educativa”, avançou. O objetivo é descentralizar as iniciativas para vários locais onde passa a N2, e algumas provas concretizadas em Pedrógão Pequeno, concretamente nas vertentes de percurso pedestre, religioso, e fluvial, e ainda na Sertã, na Casa da Cultura e no Numoas.

Partilhar: