SERTÃ: Estudo que decorreu na piscina municipal publicado em revista internacional

Artigo científico é sobre o impacto do exercício aquático (hidroginástica) na população idosa.

SERTÃ: Estudo que decorreu na piscina municipal publicado em revista internacional

Foi publicado recentemente na revista “International Journal of Environment Research and Public Health” o artigo intitulado “O Impacto de Diferentes Programas de Exercício Físico em Meio Aquático nas Doenças Cardiometabólicas, em Idosos Não-Institucionalizados”, que apresenta os primeiros resultados de uma investigação realizada na Piscina Municipal da Sertã.
Da autoria de Carlos Farinha, aluno sertaginense de Doutoramento em Ciências do Desporto, no ramo da Atividade Física e Saúde, na Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física na Universidade de Coimbra, o estudo consiste em testar o impacto que diferentes programas de exercício físico em meio aquático em vários marcadores cardiometabólicos na população idosa.
Neste caso concreto foi publicado o estudo do programa aeróbio* contínuo, intervalado aeróbio e combinado (aeróbio e força muscular), realizado durante 28 semanas, tendo sido avaliados vários marcadores antes e depois da intervenção. Os resultados demonstraram que, “independentemente do programa de exercício houve melhorias nos utentes ao nível da composição corporal (no peso, na gordura visceral, na massa gorda e massa muscular) e também na aptidão funcional, ou seja capacidade aeróbia, força muscular, de apreensão manual e flexibilidade”, explicou à Rádio Condestável, Carlos Farinha. As melhorias foram ainda notórias ao nível da cognição e “o programa combinado demonstrou proporcionar mais benefícios ao nível da composição corporal e da função cognitiva. Por outro lado, os programas intervalado aeróbio e aeróbio contínuo demonstraram ser mais eficazes ao nível da aptidão funcional”, explicou igualmente o autor.
O estudo foi realizado entre 2017 e 2018 e envolveu 102 idosos não institucionalizados e utentes da piscina, com uma média de idades de 72 anos. Carlos Farinha realça a boa adesão que as pessoas demonstraram. “Sempre colaboraram e tenho muito que lhes agradecer pela paciência e empenho pois além da participação eles também tiveram dois momentos de avaliação. Foram impecáveis e nunca desistiram”, confirma.
O artigo agora publicado apresenta apenas os primeiros resultados deste projeto, referentes às variáveis antropométricas, de aptidão funcional e cognição. “Se tudo correr bem serão publicados mais dois artigos”, explicou. O artigo integrou a edição especial “Health Benefits of Physical Activity in Older Adults” da referida revista e pode ser acedido em: https://www.mdpi.com/1660-4601/18/17/8963.
A publicação destes artigos em revistas científicas é um processo normal no decurso de doutoramento e por isso ainda serão publicados mais dois artigos, noutras revistas, relacionados com o mesmo estudo. “Um será sobre os marcadores inflamatórios e um último artigo será mais direcionado para a espessura íntima e média das artérias carótidas”, avançou.
De realçar que os critérios de publicação são exigentes, facto que deixa este aluno, e funcionário da Câmara Municipal da Sertã a exercer funções na Piscina Municipal da Sertã, “bastante satisfeito” pela publicação desta primeira parte do estudo. Ainda de acordo com o autor, “estes resultados serão, com certeza, uma útil ferramenta de ajuda ao planeamento das aulas de hidroginástica, pelos técnicos do Município, bem como, para toda a comunidade envolvida na prescrição de exercício físico”.
José Farinha Nunes, presidente da Câmara Municipal da Sertã, já saudou este trabalho de investigação académica, sob coordenação, entre outros, de um professor também natural do concelho da Sertã (José Pedro Ferreira).
“A importância deste tipo de trabalhos é vital para o conhecimento da nossa população, bem como dos seus hábitos e vivências. Acredito que os resultados desta investigação serão úteis na definição de novas estratégias para responder aos desafios colocados pela população mais idosa”, acrescentou o edil.
Em jeito de conclusão, Carlos Farinha apela para que “as pessoas comecem a olhar para o exercício físico como uma mais-valia para melhorar a saúde, permitindo a prevenção e controlo de doenças, refletindo-se positivamente na melhoria da qualidade de vida”.

* - A palavra aeróbio quer dizer "com oxigênio" ou "na presença de oxigênio" e refere-se a tudo que necessita de oxigênio para subsistir.

Partilhar: