SERTÃ: Livro de poesia sensibiliza para as questões do planeta

“Silêncio: os pássaros leem em voz alta” foi lançado ontem.

SERTÃ: Livro de poesia sensibiliza para as questões do planeta

No âmbito da Maratona de Leitura da Sertã, decorreu ontem, 2 de julho, o lançamento do livro “Silêncio, os pássaros leem em voz alta”, para o qual vários autores, portugueses, brasileiros ou africanos produziram poemas. A obra tem a colaboração de Mafalda Milhões e de Maurício Leite e tem como fio condutor despertar consciências para a preservação do planeta e da sua biodiversidade. Conta com textos de autores sertaginenses como Pedro Ferrão e Joana Lopes. “Temos também Afonso Cruz, Gonçalo M. Tavares, Valter Hugo Mãe, José Luís Peixoto ou José Eduardo Agualusa”, entre outros. “É um leque enorme de escritores que decidiram juntar-se a este apelo pela salvação do planeta através da mensagem que vem da Amazónia”, explicou Ana Sofia Marçal, coordenadora da Maratona de Leitura.
Com o referido intuito de despertar consciências, foi inaugurada aa exposição “Pássaros da Amazónia”, de Maurício Leite, onde este utilizou a sua coleção de pássaros feitos de restos saídos da palmeira Buriti, uma árvore de extrema importância para a manutenção do ecossistema mundial. Lembra um grito de consciências que, trazida para a realidade portuguesa, alerta para os incêndios que todos os anos assolam o nosso país e alerta para o facto de “precisarmos de prestar atenção à vida na Terra”, disse Maurício Leite.
A exposição está patente ao público nos Claustros do Convento da Sertã Hotel, sendo que a coleção exposta está igualmente representada no livro lançado. Para Ana Sofia Marçal “ela representa um grande cuidado que existe com a floresta e com o planeta. É o mesmo cuidado que devemos ter aqui, apesar da realidade portuguesa ser diferente da que existe na Amazónia”. “Concentrámo-nos nos pássaros para alertar as pessoas para a importância de ter liberdade que fosse sustentável e amiga do planeta”, adiantou.

Partilhar: