SERTÃ – PS apresentou candidatos às próximas autárquicas

À câmara e à Assembleia Municipal.

SERTÃ – PS apresentou candidatos às próximas autárquicas

O Partido Socialista (PS) da Sertã apresentou publicamente ontem, 29 de julho, a candidatura de Carlos Miranda à Câmara Municipal da Sertã. Este ano o partido apresenta-se com a ambição de trazer um “tempo de esperança” à Sertã, o que passa por ter gente nova e que é o futuro, o qual é preciso começar já a construir, disse Carlos Miranda.
O candidato defendeu a importância de fixar jovens, mas para tal é preciso criar empregos, fixar empresas e criar condições às que cá estão. Deste modo “nós vamos criar uma agência para o desenvolvimento. Este apoio não tem que ser monetário. Queremos apoiar os empresários da Sertã na captação de fundos comunitários“, disse, explicando que muitas vezes as empresas “não conhecem os programas de apoio ou não têm capacidade de concorrer por alguma razão”. Ainda na opinião do candidato, “uma agência deste tipo pode representar as empresas da Sertã em feiras ou exposições internacionais. Pode ajudar no processo de internacionalização, a encontrar novas oportunidades ou parcerias para novos negócios”.
A par desta ideia, a outra é “dinamizar o comércio tradicional que é fundamental para a criação de emprego no concelho e temos que ajudar os pequenos produtores a valorizar os produtos endógenos através do marketing, estruturas físicas ou digitais”, elencou.

O PS não esquece a aposta no turismo e quer fazê-lo através da valorização da gastronomia, natureza, albufeiras e algumas atividades tradicionais que “podem ser atrativas para os turistas”, considerou. Há ainda que tirar partido da Rota da EN 2 e fazer com que o turista passe mais tempo no concelho.
No capítulo da qualidade de vida é preciso ter uma saúde condigna e nos últimos anos isso não tem acontecido, diz o PS, apontando a falta de médicos ou os que vêm, não se fixarem. Para isso defende a criação de condições e apresenta uma solução financeira para tal. Ciente de que as acessibilidades são importantes para toda a gente, sabe também que “há alcatrão que é colocado em sítios onde não passa ninguém. Vamos supor que um terço desse alcatrão não é prioritário. Ao fim de quatro anos estamos a falar de dois milhões de euros”, logo essa verba “serviria para atrair médicos para o concelho da Sertã, e para muito mais”, sustentou.
Sendo a Sertã um concelho maioritariamente florestal, a floresta tem que ser apoiada e dinamizada e por isso é preciso aproveitar todos os fundos colocados à disposição por parte do Governo o que, no entender do candidato do PS, não tem sido feito. Também na educação Carlos Miranda defende, por exemplo, uma Residência de Estudantes ao serviço de todas as escolas do concelho.
A apoiar o candidato esteve Vítor Pereira, presidente da Federação Distrital de Castelo Branco do PS. Dirigindo-se a Carlos Miranda, disse que esta é uma candidatura que “não é contra ninguém, é pela sua terra, pelo seu concelho”, o qual tem “muita pujança e força, com um potencial enorme em várias frentes da nossa economia e merece alguém que tem o talento, os pergaminhos, o historial e a experiência consolidada de Carlos Miranda”.
O cabeça de lista à Assembleia Municipal é José Pedro Leitão Ferreira. O restante elenco à câmara e às assembleias de freguesia será dado a conhecer mais tarde.

Partilhar: