SERTÃ: PS volta a pedir disponibilização online das reuniões públicas

Presidente da câmara concorda mas não se compromete.

 SERTÃ: PS volta a pedir disponibilização online das reuniões públicas

Desde que as reuniões do executivo municipal da Sertã começaram a ser realizadas por videoconferência que o vereador do Partido Socialista Carlos Miranda tem apelado a que as mesmas sejam disponibilizadas aos munícipes. Esta semana, o vereador voltou a abordar o assunto com uma intervenção a qual intitulou “Liberdade, Democracia e Transparência na Sertã” e onde recorda que o presidente da câmara, José Farinha Nunes, “concordou que as gravações das reuniões de câmara públicas ficariam acessíveis ao público através do site do município”, mas “depois tudo continuou na mesma” e as reuniões não estão acessíveis ao público.
Carlos Miranda vai mais longe dizendo que “a câmara tem transmitido regularmente todo o tipo de eventos e todo o tipo de intervenções do presidente da câmara, através do site ou do canal de Youtube do município”, logo, sendo a reunião de câmara “um momento alto da vida democrática do município e um momento com dignidade suficiente para que os cidadãos o possam acompanhar em direto”, Carlos Miranda deixa mesmo a sugestão para que as reuniões tenham transmissão “em direto nos canais habituais do município”.
No entender do vereador socialista existe uma regra, ou seja “quando é o senhor presidente a falar sozinho, sem contraditório, há transmissão em direto. Quando há possibilidade de contraditório, o município não transmite em direto, nem coloca ao dispor dos cidadãos para posterior visionamento”, supôs. O vereador aponta ainda que, com esta atitude, o papel da oposição tem sido, “ainda mais” silenciado.
Em resposta, José Farinha Nunes voltou a concordar com a disponibilização das reuniões para consulta online, mas refutou a acusação de querer silenciar o papel da oposição. “Queremos tudo transparente. Não temos nada a esconder e as críticas também temos que as aceitar pois é assim que se vai melhorando o trabalho que vamos desenvolvendo”, sustentou. Apesar da sua posição, não se comprometeu com essa mesma disponibilização.

Partilhar: