SERTÃ: Questões sociais em destaque no projeto Nós Propomos

Mais de 100 alunos do Agrupamento de Escolas da Sertã (AES) apresentaram os seus projetos, este ano mais virados para as questões sociais e de cidadania. Houve quatro vencedores.

SERTÃ: Questões sociais em destaque no projeto Nós Propomos

Decorreu ontem, na Sertã, a apresentação dos projetos dos alunos do AES ao Projeto Nós Propomos. Divididos por 24 grupos, os mais de 100 alunos apresentaram o seu olhar crítico sobre os problemas que os rodeiam e a sua consequente solução. Foram quatro os vencedores que agora irão à final nacional.
Assim, em terceiro lugar ficaram em ex aequo os projetos “Sorria - Está a Ser Estudado” e “Saúde Mental”, de grupos de alunos da turma do 12º C de Geografia e do 11º D de Geografia A, respetivamente. No primeiro projeto “partem de um conceito de felicidade para depois fazerem propostas que vão desde uma linha de caminho de ferro que deve chegar à Sertã, a mudanças na economia, na sociedade e nas mentalidade”, descreveu Ilda Bicacro, mentora do Nós Propomos no AES. O projeto sobre Saúde Mental olhou "para um problema que parece que está invisível e que acaba por estar ligado à felicidade, pois o ser humano não é feliz se não tiver saúde e a saúde mental é uma vertente muito importante”, sublinhou.
Em segundo lugar ficou o projeto “Bem Estar Animal”, de um grupo de alunos do 10º B de Ciências e Tecnologia que “olha para os problemas do abandono e maus tratos dos animais e faz uma proposta fundamentada em entrevistas, inquéritos e análise de PDM com propostas inovadoras”, explicou a professora.
O vencedor foi o projeto “Interação entre Jovens e Idosos, um Caminho a Percorrer”, de um outro grupo de alunos do 10º B de Ciências e Tecnologia. A ideia é colocar os dois extremos cada vez mais em contacto e demonstra o rumo que estes projetos já tomaram, uma vez que os alunos estão cada vez mais virados para os direitos humanos. Ilda Bicacro acredita que se deve, possivelmente, à situação de pandemia ou ao facto de “estarmos há sete anos no projeto e de muitos problemas terem sido tratados”. Assim sendo, “os alunos viraram-se para os problemas sociais e que nos afetam como seres humanos, famílias e comunidade”, disse, confessando-se “maravilhada com a variedade de temas apresentados dentro dos problemas sociais”.

A evolução deste projeto foi igualmente notada por Sérgio Claudino, responsável máximo por tornar este programa numa ferramenta essencial para preparar os alunos para o seu possível percurso académico e de vida. “O projeto evoluiu da questão concreta, do edifício abandonado ou da infraestrutura que falta, para as questões da cidadania e dos direitos humanos. Um sinal de como também evoluiu a sensibilidade da juventude”, reforçou.
Ao olhar para a panóplia de ideias apresentadas, a subdiretora do AES, Glória Santos, destacou a sua pertinência e mostrou-se ciente que “a escola está a fazer o seu trabalho e a dar aos alunos um manancial que vão precisar para o futuro”.
Há sete anos a esta parte que o AES arrecada prémios nas várias categorias a concurso e isso prova a qualidade dos projetos, daí começar a pensar-se que faz sentido ter um espaço, quer para debate, quer para colocar algumas ideias em prática, defendeu Ana Delgado, adjunta do presidente da Câmara Municipal da Sertã. “Criar um nicho de ideias é algo muito vantajoso para todos nós. Aproveitar o que os nossos jovens pensam para a sociedade, para o local onde vivem, é sempre uma mais valia”, vincou. A ideia foi sublinhada pela professora Ilda Bicacro que avança ainda com a sugestão de que “atingimos uma maturidade tal que começa a fazer sentido compilar estes projetos, ideias e propostas num livro, num colóquio ou num debate”, avançou.
De referir que o projeto Nós Propomos visa promover uma efetiva cidadania territorial local. Constitui o grande projeto nacional no âmbito da disciplina de Geografia e mobiliza escolas de todo o país. Dirige-se a alunos e professores de Geografia do Ensino Secundário do 11º ano ou de outros níveis e graus de ensino. O projeto encontra-se, ainda, disseminado por seis outros países.

Partilhar: