SERTÃ: SerQ lidera projeto de valorização da fileira florestal

O SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta da Sertã acaba de ter luz verde para o projeto Forest For Future (F4F), do qual é o promotor líder.

SERTÃ: SerQ lidera projeto de valorização da fileira florestal

Trata-se de um projeto que visa a valorização da fileira florestal da região centro, através da demonstração e transferência de tecnologias e soluções.
O projeto incide em quatro áreas, desde as plantas ao produto final essencialmente no que respeita ao pinho, nomeadamente “Plantas e Viveiros”, “Gestão Florestal”, “Indústria” e “Floresta multiusos”.
Paulo Luís, presidente do SerQ, considera que este é um projeto importante porque “coloca à prova as nossas competências e a nossa capacidade criativa para responder aos desafios da preservação da floresta e do seu aproveitamento de forma sustentável nas mais diversas vertentes”, explicou em declarações à Rádio Condestável. Por exemplo, o projeto tem “uma ação de valorização da pinha e do pinhão” e os parceiros que estiverem envolvidos nela “vão trabalhar para mostrarem que este produto pode trazer um valor acrescentado muito significativo com uma série de valorizações também muito significativas”, disse.
Para este responsável “trata-se também de uma oportunidade para o SerQ demonstrar o seu valor e colocar em prática a sua missão vanguardista, utilizando a ciência e a tecnologia para alcançar propósitos relevantes para a sociedade e para a indústria, como aqueles que decorrem deste projeto”.
Para este projeto de valorização da floresta concorrem os mais variados parceiros com os mais variados projetos que visam, no final do projeto, olhar para a floresta da região centro com outros olhos. “Esperamos que no final do projeto exista um conhecimento de como podemos utilizar e trabalhar na floresta para produzir valor acrescentado em detrimento de passarmos a ser só recolectores”, acrescentou, garantindo que o projeto visa igualmente mostrar a riqueza da floresta e os vários caminhos para a alcançar”. A ideia é “combinar as visões de todos os parceiros nessas perspetivas e produtos de valorização”.

Entre outros, são parceiros neste projeto as universidades e politécnicos da região centro. Tal é um sinal de maturidade do SerQ e “um momento significativo de afirmação do centro. É o acreditar do que temos vindo a fazer nos últimos anos dentro destes caminhos de investigação”, vincou.
O consórcio é liderado pelo SerQ mas não é o dono ou o único executor do mesmo, salvaguardou Paulo Luís, ciente de que “dependemos de todos”.
Com um plano de 23 atividades a realizar até julho de 2023, o F4F - Forest For Future conta com um financiamento de cerca de 3,5 milhões de euros. Este projeto será cofinanciado pelo Centro 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FSE (Fundo Social Europeu). Além de promotor líder do projeto, o SerQ ficará responsável pelas ações: “Avaliação do Potencial Produtivo dos Espaços Florestais”, “Demonstração das Técnicas e Ferramentas de Limpeza Florestal”, “Validação e Implementação de Processos de Colagem”, “Implementação de processos de seleção”, “Validação e implementação de Sistema Construtivo”, “Qualificação de Produtos”, “Certificação e Promoção” e “Valorização da madeira de Folhosas de Espécies Autóctones”.
Deste projeto resultarão contributos bastantes significativos no âmbito das Soluções Industriais Sustentáveis e da Valorização de Recursos Endógenos Naturais, assim como benefícios relevantes no âmbito da Inovação Territorial, fortemente relacionados com a problemática dos territórios de baixa densidade, onde os espaços florestais têm uma predominância significativa.

Organização do Forest For Future

Promotor Líder:
SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta (Sertã)
Co-Promotores:
AIMMP - Associação das Indústrias da Madeira e do Mobiliário de Portugal
ADICES - Associação de Desenvolvimento Local
Associação de Viveiristas de Coimbra
BLC3 - Campus de Tecnologia e Inovação
Centro Ciência Viva da Floresta de Proença-a-Nova
CATAA - Centro de Apoio Tecnológico Agro-Alimentar
Comunidade Intermunicipal Viseu Dão Lafões
Federação de Associações Florestais – Fórum Florestal
FORESTIS - Associação Florestal de Portugal
Instituto Politécnico de Castelo Branco
Instituto Politécnico de Coimbra - Escola Superior Agrária de Coimbra
Instituto Politécnico de Leiria
Instituto Politécnico de Viseu
LNEC - Laboratório Nacional de Engenharia Civil
Pinhal Maior - Associação Desenvolvimento do Pinhal Interior Sul
Universidade de Aveiro
Universidade da Beira Interior
Universidade de Coimbra
VOUZELAR - Associação de Promoção de Vouzela

Partilhar: