SERTÃ: SerQ participa no projeto Eguralt

Projeto promove a construção sustentável através do uso de madeira em altura.

SERTÃ: SerQ participa no projeto Eguralt

Foi inaugurado no passado dia 28 de setembro, o projeto europeu Eguralt, no qual participa o SerQ – Centro de Inovação e Competências da Floresta, da Sertã. De acordo com uma nota à imprensa da Eguralt, “o projeto visa identificar e aplicar novos processos e tecnologias com o objetivo de otimizar o aproveitamento da madeira, como produto local e renovável, em edifícios de médio porte”.

Além do SerQ, participam neste projeto outras sete entidades, nomeadamente:
NASUVINSA – Navarra de Suelo y Vivienda S.A., na liderança do projeto
XERA - Agência Galega da Indústria Florestal da Galiza
CESEFOR, de Castela e Leão
BASKEGUR - Associação de Madeira do País Basco
ADEMAN - Associação de Empresários da Madeira de Navarra
XYLOFUTUR - Produtos e Materiais de Florestas Cultivadas
ENSAPBX - Escola Nacional de Arquitetura e Paisagismo de Bordéus.

Como se pode ainda ler na referida nota, “a combinação dos participantes neste projeto forma um caráter multidisciplinar (associações para o fomento da construção em madeira; centros de pesquisa avançada; associações de empreendedores; instituições de ensino, entre outros) que, no seu conjunto, irá melhorar a obtenção de resultados e a sua divulgação no espaço SUDOE - Sudoeste Europeu”.
O projeto Eguralt insere-se na Prioridade do Programa Interreg SUDOE, que visa "promover a capacidade de inovação para um crescimento inteligente e sustentável", e está enquadrado especificamente no objetivo temático que propõe "fomentar a investigação, o desenvolvimento tecnológico e a inovação". O projeto Eguralt é cofinanciado em 85% pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER) e tem um orçamento total de 1.011.562,50 €.
O Consórcio Eguralt trabalhará de forma coordenada com áreas como a promoção de edifícios públicos de madeira, desenvolvimento de novos produtos tecnológicos em madeira e transformação do setor madeireiro. Todos estes aspetos são necessários para a mudança do paradigma de construção no espaço SUDOE, orientado para uma construção mais sustentável, baseada na utilização da madeira como produto local e renovável. Esta troca de conhecimentos tornará possível a aplicação de novos produtos, processos e tecnologias, e graças à sua divulgação, a capitalização do conhecimento, a sensibilização da sociedade e o posicionamento internacional dos agentes e entidades participantes.
Entre as atividades previstas, destacam-se três mesas redondas internacionais, sete visitas de estudo, um guia sobre construção em madeira, workshops regionais ou um seminário em abril de 2023. Todas as atividades e resultados do projeto podem ser encontrados em www.eguralt.eu.

Partilhar: