SERTÃ: VIII Festival Ibérico de Teatro registou sucesso

Durante dois dias, a vila da Sertã foi o palco do que de melhor se faz de teatro de amadores na Península Ibérica.

SERTÃ: VIII Festival Ibérico de Teatro registou sucesso

A VIII edição do Festival Ibérico de Teatro foi um sucesso. Quem o diz é a Câmara Municipal da Sertã numa nota enviada à comunicação social. Assim, dias 30 e 31 de outubro, aos palcos da Casa da Cultura e do Cineteatro Tasso do Clube da Sertã, subiram peças de teatro em português e em espanhol, numa organização conjunta da Federação Portuguesa de Teatro Amador e da A.Com.Te.Ser – A Companhia Teatral da Sertã.
Como descreve a autarquia sertaginense, o primeiro dia foi dedicado a teatro em português e o segundo em espanhol. De um modo geral, “o festival obteve feedback bastante positivo, registando plateias bem compostas de público. A qualidade das peças e atores, assim como a escolha da Sertã para receber esta iniciativa, foram motivos de elogio”, lembra a câmara.
Carlos Miranda, presidente da Câmara Municipal da Sertã, agradeceu o empenho de todos quantos colaboraram na realização deste evento, lembrando que disse logo “sim” no momento em que foi desafiado para acolher a iniciativa, que não pôde ser realizada noutro município por questões logísticas. Adiantou ainda estar aberto à realização deste tipo de iniciativas que promovam a cultura e frisou que as entidades culturais do nosso concelho “podem contar com o nosso apoio”. “Quero que a cultura seja uma marca do meu mandato: mais e melhor cultura”, sublinhou o autarca.

Quanto a Valdemar Mota, presidente da Federação Portuguesa de Teatro Amador, enalteceu o trabalho de equipa que possibilitou a realização do festival na Sertã e agradeceu à câmara, que desde a primeira hora “pegou nesta atividade como se fosse uma coisa sua”. Aquele responsável deu também uma palavra de esperança para Portugal e Espanha que agora saem de “um momento tenebroso”, referindo que este tipo de iniciativas são também sinais de resiliência e superação.
José Martinez, representante da Escenemateur (Confederación de Teatro Amateur) recordou que este festival nasceu em Portugal com o objetivo de difundir a cultura nestes dois países. Referiu que o teatro amador não passa por um bom momento devido à Covid-19, no entanto, “este festival é mais um sinal de que a cultura está de regresso”.
Por seu lado, Zélia Machado, representante da A.Com.Te.Ser – A Companhia Teatral da Sertã e do Clube da Sertã, mostrou regozijo em poder acolher “estes atores que mostraram grande qualidade”. Referiu que todos se sentiram acarinhados pela autarquia sertaginense e pelo seu apoio à cultura, “porque a cultura faz a diferença e, no final, é o que levamos”. Zélia Machado acrescentou que a realização do VIII Festival Ibérico de Teatro na Sertã foi uma oportunidade para celebrar o 10.º aniversário da A.Com.Te.Ser.
Teresa Relvas, representante da Junta de Freguesia da Sertã mostrou-se bastante satisfeita pela realização deste tipo de iniciativas na Sertã, sendo um sinal do regresso à “vida normal”.

Partilhar: