SERTÃ/Cernache do Bonjardim: Comemoração da Canonização de São Nuno de Santa Maria

O 12.º aniversário da canonização de São Nuno de Santa Maria acontece no próximo dia 26 de abril.

SERTÃ/Cernache do Bonjardim: Comemoração da Canonização de São Nuno de Santa Maria

O Município da Sertã associa-se, uma vez mais, às comemorações da Canonização de São Nuno de Santa Maria. O ponto alto será dia 26 de abril, pelas 16:00, com a celebração de uma missa na Igreja do Seminário das Missões, em Cernache do Bonjardim. Refira-se que a lotação será limitada, conforme as normas da Direção Geral da Saúde. A missa terá transmissão através das plataformas digitais do Município (site oficial e redes sociais).
Trata-se de "um momento marcante não só para todo o movimento religioso português mas também para o concelho da Sertã, que viu um dos seus filhos mais diletos ser canonizado pelo papa Bento XVI em 2009", constatou José Farinha Nunes, presidente da autarquia sertaginense.
“Ao assinalarmos o 12.º aniversário da canonização de uma figura tão notável como São Nuno de Santa Maria estamos a prestar homenagem a um homem de enormes qualidades e cujo exemplo de vida ainda hoje serve de modelo e inspiração para todos nós", continua o autarca.
Após a celebração eucarística, terá lugar uma pequena romaria ao local de nascimento de São Nuno de Santa Maria, no recinto do Seminário das Missões, protagonizada por José Farinha Nunes e pela presidente da Junta de Freguesia da União de Freguesias de Cernache do Bonjardim, Nesperal e Palhais, Filomena Bernardo, que depositarão uma coroa de flores no local.
Trata-se de uma organização conjunta do Município e da referida união de freguesias.
Nuno de Santa Maria (de seu nome Nuno Álvares Pereira) nasceu a 24 de junho de 1360 em Cernache do Bonjardim. Intrépido cavaleiro, foi autor de várias façanhas militares, tendo uma ação decisiva na marcante Batalha de Aljubarrota, onde se jogava a independência de Portugal. Figura central no reino, foi Condestável e um dos homens mais poderosos do país. Abdicou de todos os títulos e das vastas propriedades que detinha e entrou para o Convento do Carmo, em Lisboa, onde iniciou uma vida dedicada à caridade. Morreu no dia de todos os santos de 1431 e quase cinco séculos depois, mais precisamente em 1918, foi beatificado pelo papa Bento XV. Em 2009, o papa Bento XVI canonizou-o, lembrando uma "figura exemplar nomeadamente pela presença duma vida de fé e oração em contextos aparentemente pouco favoráveis à mesma, sendo a prova de que em qualquer situação, mesmo de carácter militar e bélico, é possível atuar e realizar os valores e princípios da vida cristã".

Partilhar: