SERTÃ/Covid-19: As lições que a pandemia está a deixar

A pandemia da Covid-19 colocou muitas situações à prova e está a deixar marcas e lições que irão, certamente, permanecer no tempo.

SERTÃ/Covid-19: As lições que a pandemia está a deixar

A pandemia tem deixado importantes lições para o futuro e, sobretudo, exemplos de superação de quem, nos hospitais, lutou diariamente para salvar vidas ou simplesmente daqueles que, confinados a um quarto, tiveram que permanecer isolados durante meses num quarto de um lar.
No “Todos juntos no combate à pandemia”, programa da Rádio Condestável com o apoio do Município da Sertã, hoje percebemos que “a medida para aferir quem é mais ou menos herói não se aplica nestes tempos. Esta é uma batalha comum, de cujo sucesso depende muito o nosso futuro. As histórias de superação que diariamente nos chegam, através da comunicação social, ou os relatos daqueles que nos são mais próximos mostram o lado mais luminoso do ser humano”, relembra o Município sertaginense.
“Lemos, ouvimos ou simplesmente assistimos, por vezes no conforto das nossas casas, a momentos de verdadeiro drama que se vivem nos hospitais e questionamo-nos sobre o lugar secreto onde muitos profissionais de saúde vão buscar forças que parecem inesgotáveis. É um esforço sobre-humano que devemos valorizar e nunca esquecer. É como aquelas guerras cujas lições devem continuar presentes muitas décadas depois do seu término”, acrescenta, notando que “esta pandemia não colocou apenas à prova os homens e mulheres que fazem das fraquezas forças nos hospitais. Nos lares, estão também exemplos que devem ser lembrados” e dá o exemplo de uma nonagenária, de Pedrógão Pequeno, cuja história foi contada há dias num conhecido jornal português.
“Confinada ao quarto do seu lar, onde cumpriu quarentena atrás de quarentena, esta mulher sentiu o peso da solidão que a todos invade nestes momentos, mas cumpriu a sua missão. Todos temos uma missão neste combate, por pequena ou menos exigente que seja”, sublinha, notando que “o exemplo desta nonagenária é replicado em muitos dos nossos lares e centros de dia, onde a pandemia nos afastou de todos aqueles que lá estão, quebrando laços e mantendo vidas em suspenso”. “Mas essa suspensão faz parte da solução para o problema. A pandemia não cessará com soluções mágicas, nem poções milagrosas. A chegada da vacina foi uma luz que se acendeu num quarto invadido pela escuridão. Todavia, essa luz é ainda ténue e só com a população totalmente vacinada e em segurança será possível regressar à ‘velha’ normalidade”, reforça, lembrando que “até lá não podemos arriscar. O cumprimento escrupuloso das medidas sanitárias e de distanciamento social é fundamental”.
Uma vez mais a autarquia considera que “é importante deixar uma mensagem de confiança e de esperança”, e é essa mensagem que a Câmara Municipal da Sertã e a Comissão Municipal de Proteção Civil da Sertã querem fazer passar, ou seja “a esperança num amanhã melhor, em dias mais solares e menos nublosos. Os tempos que aí vêm não serão fáceis. O final desta crise pandémica exigirá de todos nós forças para travar uma outra batalha, na frente económica e social, e por isso a certeza e a garantia de que, uma vez mais, a Câmara Municipal da Sertã estará ao lado dos seus munícipes”, garante.
O Município sublinha que “na história da nonagenária de Pedrógão Pequeno cabia um pormenor curioso, que nos deve lembrar que, embora confinados, a vida também é feita de esperança. A dela era poder vivenciar novamente a romaria de Nossa Senhora da Confiança, em Pedrógão Pequeno. Agarremo-nos à esperança e sejamos confiantes num futuro melhor. Se uma mulher de 94 anos o consegue fazer, provavelmente todos nós também o conseguiremos.

Artigos Relacionados

Partilhar: